Casos graves de dengue crescem 250%; PI é líder no NE

Do início de janeiro a 16 de fevereiro deste ano foram registrados sete casos graves de dengue.

O boletim epidemiológico divulgado ontem pelo Ministério da Saúde revela que, de 1° de janeiro a 16 de fevereiro de 2013, foram registrados sete casos graves de dengue. O número representa um aumento de 205% em relação ao mesmo período de 2012, quando houve dois casos graves da doença.


Casos graves de dengue crescem 250%; PI é líder no NE

O aumento do Piauí é o maior no Nordeste. Todos os outros Estados da região tiveram diminuição dos casos de dengue. No Brasil, o maior crescimento foi no Mato Grosso do Sul (1400%), seguido do Paraná (500%) e do Amazonas (300%). A boa notícia é que não foi registrado nenhum óbito durante os primeiros meses do ano no Piauí, sendo que 2012 já começou com uma morte.

Ao todo, foram notificados pelo Ministério da saúde, 349 casos de dengue no Estado até agora, incluindo as ocorrências não consideradas graves. Durante o ano de 2012, houve 1.154 registros, ou seja, 30% das ocorrências confirmadas no ano passado.

O boletim confirmou que o DENV-4, um dos quatro sorotipos que circula no Brasil. Corresponde a 52,6% das amostras analisada. A gravidade e os sintomas (febre alta, dores no corpo e nas articulações, vômitos, manchas vermelhas no corpo, entre outros) são iguais para os quatro tipos de vírus.

Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) mostra que, em janeiro deste ano, 267 municípios brasileiros estavam em situação de risco para dengue, como é o caso de Palmas (TO) e Porto Velho (RO).

Por região, a maior concentração das larvas do mosquito em reservatórios de água ocorreu no Nordeste, com 76,2%.

Por outro lado, foi na região Sudeste onde se concentram os maiores focos em depósitos domiciliares com 60,6%.

Fonte: Pollyana Carvalho