Ceapi instalará banco de alimentos, diz diretor-presidente

Administração quer transformar o local em um ponto de convergência entre os pequenos produtores e o poder público.

A administração da Central de Abastecimento do Piauí (Ceapi) quer transformar o local em um ponto de convergência entre os pequenos produtores e o poder público.

Essa é a informação do diretor-presidente da central piauiense, Alberto Monteiro Neto. A Ceapi apareceu em uma lista preliminar divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), na qual constam mais de trinta Centrais de Abastecimento que estão interessadas em receber R$ 1,5 milhões dos R$ 7,5 milhões que o MDS está disponibilizando para a implantação de um Banco de Alimentos nos mercados classificados ao final do processo.

Segundo o diretor-presidente da central piauiense, Alberto Monteiro Neto, as diretorias de quase todas as centrais do país enviaram a sua proposta para a aprovação da banca avaliadora do Ministério.

"Hoje, os pequenos produtores locais têm dificuldades para fazer com que sua produção seja plenamente comercializada. Isso porque, ou eles saem vendendo de mercado em mercado, ou os órgãos públicos vão buscar essa produção diretamente nas hortas, o que dificulta o processo. Queremos ser um ponto central nessa dinâmica", diz o diretor.

A proposta enviada pela diretoria da Ceapi ficou classificada em 4º lugar para receber o Banco de Alimentos.

O Piauí perdeu apenas para as ceasas dos estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Espírito Santo, que ficaram em primeiro, segundo e terceiro lugares, respectivamente.

"Analisando por região, ficamos em primeiro lugar geral do Nordeste. A Paraíba foi a única que conseguiu se classificar tão bem quanto nós, ocupando a sexta posição", esclareceu o diretor-presidente da Ceapi.

Os "Bancos de Alimentos" são unidades estratégicas de abastecimento e combate ao desperdício de alimentos provenientes da cadeia agroalimentar urbana e metropolitana.

Auxiliam na distribuição dos gêneros alimentícios do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e se caracterizam como importante espaço de articulação com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Os produtos recebidos de doadores, do PAA e da agricultura familiar são selecionados, processados, acondicionados, identificados e direcionados a entidades socioassistenciais que oferecem alimentação a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. Contribuem também para o abastecimento de Cozinhas Comunitárias, Restaurantes Populares e escolas.

Fonte: Dowglas Lima