Cemitério Forest Lawn ainda não recebeu o corpo do cantor Michael Jackson

Legalmente, o corpo do cantor só poderia estar no cemitério Forest Lawn

Os mistérios em torno da morte de Michael Jackson só aumentaram depois do funeral do rei do pop. Após as homenagens emocionadas diante de um caixão lacrado, todos se perguntavam o que teria acontecido com o corpo do artista.

Legalmente, o corpo do cantor só poderia estar no cemitério Forest Lawn. Foi onde aconteceu o velório com a presença da família esta semana e é o que está escrito no atestado de óbito.O documento registra a morte no dia 25 de junho. Diz que o corpo está no cemitério Forest Lawn, mas apenas "temporariamente". Apesar disso, nenhum sinal do corpo. Foi um fim de semana comum no cemitério.

O enterro agora depende da devolução do cérebro do artista, até hoje no Instituto Médico Legal de Los Angeles. Os legistas tiveram que fazer dois tipos de exame no corpo de Michael Jackson. Primeiro, um exame toxicológico, uma intensa procura por substâncias químicas que possam comprovar uso excessivo ou inadequado de medicamentos. O segundo exame é ainda mais delicado: os médicos retiraram o cérebro de Michael Jackson para saber se a causa da morte teria sido uma doença.

Problemas de saúde

Guarda-sol para proteger o rosto. Máscara para proteger os pulmões. Casacos em dias quentes e luvas, porque as mãos eram sensíveis. O visual excêntrico de Michael Jackson, em grande parte, se explicaria por um grave problema de saúde, confirmado por amigos só depois da morte do artista. Michael Jackson sofria de lúpus, uma doença crônica hereditária em que o sistema imunológico cria anticorpos para atacar partes saudáveis do corpo.

O patologista Howard Robin, ex-chefe do IML de San Diego, na Califórnia, explica que no caso de Michael o exame cerebral era obrigatório: ?Só fazendo cortes no cérebro seria possível determinar se Michael sofria de um tipo mais grave de lupus, o lupus sistêmico?.

Essa variação da doença pode afetar quase todos os órgãos do corpo e frequentemente causa mortes por parada cardíaca, sem explicação. O patologista acredita que, apesar da divulgação dos laudos estar prevista para o dia 2 de agosto, os médicos já saberiam a causa da morte.

Os legistas estariam fazendo novas checagens para que garantir o resultado definitivo, inquestionável. Depois que os legistas terminarem, o cérebro será devolvido e Michael Jackson poderá, enfim, descansar em paz. Só não se sabe onde.

Jazigo polêmico

Na quinta-feira (9), um advogado que representa a família Jackson procurou autoridades da Califórnia, com a intenção de enterrar o corpo de Michael no rancho Neverland, o que hoje é proibido por uma lei estadual.

Segundo Jermaine, o irmão mais próximo de Michael, os advogados contam com o peso do nome Jackson para conseguir uma autorização especial. Mas nem mesmo na família existe consenso. O pai de Michael seria contra o enterro em Neverland.

Problema parecido ocorreu com o cantor James Brown. O pai da soul music morreu em 2006 e, por causa de uma disputa na Justiça, o corpo só foi enterrado depois de quase três meses, em um local temporário.

E a história do rei do rock também guarda semelhanças. Elvis Presley foi enterrado em um cemitério comum, mas depois de uma tentativa de violação da sepultura, o corpo foi transferido para casa de Elvis no estado americano do Tennessee. Graceland é até hoje um lugar aberto à visitação.

Fonte: g1, www.g1.com.br