ONG recupera dependentes químicos em THE

ONG recupera dependentes químicos em THE

Vagando pelas ruas da cidade em busca dessas pessoas, eles oferecem comida a quem tem fome e esperança a quem já desistiu de lutar.

É madrugada de terça-feira, o carro que leva o projeto ?Sopa com Palavra? chega para mais uma distribuição de alimentos aos moradores de rua que ficam no centro de Teresina, próximo ao HGV. Muitos deles ainda se encontram sob efeito da droga, uns sentem os efeitos da fome, enquanto outros sentem que a vida não faz mais sentido.

É nesse momento que o Centro de Recuperação Filho Pródigo, responsável pelo projeto ?Sopa com Palavras?, leva esperança para os dependentes químicos que vagam pelas ruas da capital. Mais do que comida, eles oferecem oportunidade de tratamento na comunidade terapêutica implantada há cinco meses em Teresina.

Segundo o fundador do Centro de Recuperação, Tarcísio Cândido de Oliveira, os moradores de rua escondem um histórico de abandono. ?São pessoas entre 20 e 50 anos, cuja família já expulsou de casa porque não aguentava mais o problema com as drogas. Quando levamos o alimento, sensibilizamos para que procurem tratamento?, afirma Tarcísio.

Joaquim Barbosa Campos começou a usar droga aos 14 anos. Desde então, foram duas décadas perdidas por conta da dependência química. Em certa ocasião, após uma semana fumando crack sem parar, Joaquim percebeu que poderia morrer caso não fizesse o tratamento com urgência.

E foi na igreja, que ficava há dois quarteirões da boca de fumo, que ele conheceu o Centro de Recuperação Filho Pródigo, através de um interno que já fazia tratamento na comunidade terapêutica.

?Hoje estou com um mês e 10 dias na casa. Encontrei o remédio certo para mim, que é Deus?, afirma Joaquim.

300 pessoas em todo o Brasil já foram recuperadas

Atualmente, o Centro de Recuperação Filho Pródigo tem 20 internos e funciona em uma casa alugada na rua Arlindo Nogueira. O local se mantém através de doações e com a venda de um antimofo produzido pelos dependentes químicos em recuperação.

Tudo teve início em Brasília, quando Tarcísio Cândido de Oliveira fez o tratamento na comunidade terapêutica Leão de Judá. ?Eu sou um dependente químico, já fui morador de rua e sou ex-presidiário. Por isso me envolvi com esse trabalho de recuperar usuários de droga?, afirma Tarcísio.


Centro de Produção Filho Pródigo atua no auxílio e recuperação de dependentes químicos

Após ser implantado em Brasília, o Centro de Recuperação Filho Pródigo se expandiu para o estado de Goiás e, por último, ao Piauí. A pretensão agora é abrir um Centro na cidade de Timon. Ao todo, cerca de 300 pessoas já foram recuperadas pela comunidade terapêutica.

Wanderson Marcelo da Silva está quase terminando o tratamento, que dura nove meses. Ele veio de Brasília para ajudar na implantação da comunidade terapêutica em Teresina e já tem planos para ficar por aqui. ?Eu conheci uma pessoa e estou namorando. Pretendo casar e não quero voltar para Brasília porque lá não vou encontrar a força que preciso para me manter limpo?, afirma Wanderson.

Tratamento envolve fé e resgate dos laços familiares

O dia começa cedo para os internos que fazem tratamento da dependência química no Centro de Recuperação Filho Pródigo. Pela manhã, eles se dividem entre o culto matinal, as atividades domésticas e a produção do antimofo e de bonecas. Além de servir como terapia, os produtos são vendidos e ajudam a manter as despesas da casa. À tarde tem sempre um filme evangélico para assistir e uma partida de futebol jogada no campo próximo ao Centro.

Aos domingos, eles recebem a visita dos familiares. Esse é um dos momentos mais importantes para a recuperação.

?A gente procura resgatar esses laços perdidos?, explica Tarcísio Cândido.

Joaquim Barbosa compreendeu o quanto a família faz a diferença na luta pela recuperação quando reencontrou a mãe, exatamente no segundo domingo de maio. ?Ela chorou muito, mas não era aquele choro de desespero me esperando de madrugada, era de felicidade?, afirma Joaquim.

Fonte: Nayara Felizardo