Cerveja: a bebida preferida dos brasileiros, é a marca registrada de consumo nas altas temperaturas

Cerveja: a bebida preferida dos brasileiros, é a marca registrada de consumo nas altas temperaturas

Em relação a fazer ou não, mal para órgãos do corpo humano, a nutricionista comenta que em indivíduos saudáveis e desde que consumida com moderação

Se “um dia frio - um bom lugar pra ler um livro”, como diz um trecho da música do Djavan, um dia quente - um bom lugar pra tomar uma cervejinha gelada. Claro que para matar a sede só mesmo a água, mas convenhamos, para quem gosta de cerveja e de um bom bate-papo com amigos, família, com o parceiro (a) e até mesmo sozinho (a), degustar a bebida é uma das delícias da vida, obviamente, com moderação no consumo. E falando em cerveja gelada ou “estupidamente” gelada, o beer sommelier (termo designado a profissionais especializados no mundo das cervejas) Túlio Rodrigues, explica que a questão da cerveja “estupidamente” gelada é cultural, pelo fato de o clima e a temperatura em algumas regiões do Brasil - aqui se enquadra o Piauí -, possuírem ao longo do ano, temperaturas elevadas.

“Mas existem temperaturas ideais de serviço para outros estilos cervejeiros que podem chegar até a 15°C. Como regra geral, quanto mais complexas e alcóolicas, menos geladas devem ser servidas. Já as mais delicadas e suaves, podem ser servidas mais geladas, por exemplo: muito gelada (de 0 a 4°C): American Light Lagers ou cervejas sem álcool e qualquer cerveja que tenha o objetivo de refrescar. E bem gelada (de 5 a 7°C): cervejas de trigo claras, Lambics de fruta e Gueuzes e gelada (de 8 a 12°C): para Lagers Escuras, Pale Ale, Amber Ale, cervejas de trigo escuras, Porter, Helles, Vienna, Tripel e Bock tradicionoal. Temperatura de adega (de 13 a 15°C): para as Ale quadrupel, Strong Ales Escuras, as Stout e a maioria das cervejas especiais Belgas, incluindo as Trapistas. As Bocks mais fortes como a Eisbock e a Doppelbock” pontua Túlio Rodrigues.

Depois de verificada a temperatura é natural que as pessoas tenham curiosidade em saber sobre a composição da cerveja. Segundo o beer sommelier, a bebida contém os ingredientes naturais - os grãos de cevada e outros cereais, lúpulo, levedura e água. O lúpulo é a “alma da cerveja” porque proporciona o aroma e paladar. De acordo com ele, o malte é fonte de ferro, fósforo, zinco, magnésio e vitaminas B2 e B6. Já a levedura é o composto responsável por transformar o mosto em cerveja e através do processo de fermentação transformam os açúcares em álcool e gás carbônico (CO2). A água corresponde a 95% da bebida e é responsável pelo caráter isotônico dado à cerveja, ou seja, graças à água, a cerveja pode ser consumida para reidratar após exercícios físicos. Júlio Rodrigues afirma que nenhum dos ingredientes é prejudicial à saúde.

“Pelo contrário, a cerveja é composta por ingredientes naturais que auxiliam na saúde e, por possuir baixo teor alcoólico (entre 4 e 5%), pode fazer parte de uma dieta saudável. Mas é imprescindível a atenção com o consumo moderado. De acordo com a OMS - Organização Mundial da Saúde -, o limite de consumo diário estipulado está em torno de 700 ml de cerveja para os homens, algo como duas latas por dia, e metade da quantidade para as mulheres”, adverte. O especialista diz ainda que não há diferença entre o sabor de uma mesma marca em lata ou garrafa, desde que ambas as embalagens tenham sido armazenadas e conservadas em condições adequadas. Ou seja, ao abrigo da luz e do calor e sem congelamento. Sendo a única vantagem da latinha é o fato de ser feita de alumínio e por isso, gelar mais rápido.

Aceita um chope ou uma cerveja?

De acordo com o especialista em cerveja, Túlio Rodrigues, existem várias diferenças entre o chope e nossa cerveja do dia a dia (pilsen). Ele explica que o chope não é pasteurizado e a cerveja sim, com isso a validade média do chope é de apenas 10 a 15 dias enquanto fechado, e depois de aberto o ideal é consumir em no máximo três dias. Já a validade da cerveja pilsen brasileira é de seis meses.

ACONDICIONAMENTO - “A melhor forma é em pé, diferentemente do que se aconselha com o vinho. Ao guardar a cerveja em pé, diminui-se a probabilidade de vazamentos e posterior oxidação. Porém, fora da geladeira, cervejas mais suaves e delicadas devem ser consumidas o mais rápido possível. Os sabores oxidam e as proteínas que compõem corpo e espuma coagulam e precipitam”.
E para quem pensa que a escolha do copo usado para degustar a cerveja é besteira, o beer sommelier adverte: “

A escolha do copo correto interfere diretamente na impressão e apreciação correta da cerveja. Como regra geral, quanto mais leve e menos aromática a cerveja, mais estreito é o copo; quanto mais encorpada e aromática, mais largo e bojudo é o copo. As bordas dos copos também têm influência direta na qualidade de sua experiência: bordas largas têm maior superfície de volatilização dos aromas e por isso é ideal para cervejas bastante aromáticas; bordas estreitas com menor superfície para volatilização dos aromas e são ideais para cervejas com perfil aromático menos intenso”, finaliza Túlio Rodrigues. (L.M.)

Spa: Banho de imersão na cerveja

Esqueça os banhos refrescantes em águas cristalinas e as praias paradisíacas e deixe de lado os spas que oferecem banhos de leite, chocolate ou mel. O Beer Spa Bernard, em Praga, na República Checa, permite que os visitantes mergulhem em uma banheira cheia de ingredientes naturais usados para a confecção da bebida, como cevada e leveduras. Os visitantes têm uma sessão relaxante de 30 minutos em uma banheira de cerveja enquanto degustam a bebida.

O líquido é mantido a 37°C e borbulha continuamente, para que os ingredientes se dissolvam, liberando vitaminas, carboidratos e proteínas. Durante a sessão de 30 minutos, as pessoas podem relaxar enquanto tomam cerveja direto da torneira embutida na banheira antes de continuar o processo em uma cama aquecida ou aproveitando uma massagem por 20 minutos.

De acordo com o estabelecimento, os tratamentos fazem com que os clientes tenham seu corpo cuidado por dentro e por fora, saindo revigorados. Além disso, o local aconselha a todos que participarem da sessão não tomem banho por 12 horas depois da visita, para ter todo o benefício da cerveja. Alguns dos efeitos do banho seriam: o rejuvenescimento da pele, o efeito tranquilizante na pele, cabelo e músculos, a redução do estresse e a melhor circulação do sangue.

As banheiras podem ser duplas ou individuais e custam a partir de 70 (cerca de R$ 222). Como se um banho de cerveja já não fosse suficiente, os clientes ganham uma garrafa de Beer Bernard como lembrança. Além disso, o Spa tem uma pequena loja de cosméticos feitos da bebida.


Existem benefícios da bebida para a saúde?

“O consumo moderado de cerveja pode trazer benefícios à saúde, desde que esteja inserido em um contexto de vida saudável, como alimentação equilibrada e prática regular de atividade física”, diz a nutricionista Andrea Zaccaro, presidente da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva. Segundo ela, as pesquisas apontam, atualmente, principalmente para evidências positivas na saúde do coração e que o interesse em investigar outras condições de saúde tem aumentado ao redor do mundo.

Em relação a fazer ou não, mal para órgãos do corpo humano, a nutricionista comenta que em indivíduos saudáveis e desde que consumida com moderação (uma latinha de 350 ml para mulheres e 2 para homens), não causa danos ao coração, por exemplo. “Muito pelo contrário, algumas pesquisas científicas revelam que, inclusive, pode trazer benefícios ao funcionamento do órgão, devido à presença de componentes de seus ingredientes naturais, com destaque para a cevada e o lúpulo. Além disto, já é fato consolidado que o consumo regular e moderado de bebidas de baixo teor alcoólico, como a cerveja, pode reduzir o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares”, afirma Andréa Zaccaro.

BARRIGUINHA DE CHOPP - Segundo ainda a nutricionista, a cerveja não é responsável pelo aumento de peso ou de gordura na região do abdômen (a chamada “barriga de chopp”). Se consumido em excesso, qualquer alimento ou bebida pode resultar em um aumento de circunferência abdominal. “Por outro lado, se houver moderação, a cerveja não será a responsável pelo aumento de peso e outros parâmetros corporais. Deve-se prestar atenção à ocasião em que é consumida, aos acompanhamentos e quantidades excessivas”, conclui.

Fonte: Lindalva Miranda