Chuva alaga cidades e destrói estradas no Nordeste

No Ceará, 55 municípios foram atingidos pelas chuvas e seis pessoas já morreram

O número de desabrigados por causa da chuva aumenta a cada dia no Nordeste. Cidades estão alagadas, famílias ficaram isoladas e trechos de rodovias foram destruídos.

No Ceará, 55 municípios foram atingidos pelas chuvas. Seis pessoas já morreram em decorrência das enchentes. Os moradores da região norte do estado contam os prejuízos.

Em Sobral, o rio já cobriu uma praça e deixou um museu quase totalmente submerso.

Os acessos ao município de Granja estão bloqueados. No centro, prédios públicos como a sede da prefeitura, a Câmara Municipal e o fórum estão alagados. Mais de 6 mil pessoas sofreram algum tipo de prejuízo. A cidade está debaixo d"água. Centenas de famílias estão ilhadas na zona rural. Elas ficaram sem água potável, porque a adutora foi destruída pela enxurrada.

Em Moraújo, o rio está sete metros acima do nível normal. Quatro casas caíram e muitas continuam alagadas. As aulas estão suspensas.

Em Bela Cruz, cerca de 7 mil pessoas estão em um dos 12 abrigos improvisados. Na estrada CE-362, o asfalto cedeu e o buraco quase engoliu um caminhão que transportava gás e passava pelo trecho.

Piauí

No Piauí, o governo do estado pediu ajuda do Exército para socorrer a população atingida pela chuva. O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 15 metros acima do normal.

Na segunda-feira (4), moradores foram surpreendidos e tiveram que tirar os móveis de casa às pressas. Muita gente está em abrigos. São mais de 2 mil famílias atingidas.

É a maior cheia da história do Rio Poty. Na capital, 65 bairros foram alagados. Moradores abandonaram as casas, levando o que conseguiram salvar. E os bombeiros e voluntários estão usando canoas para socorrer as vítimas.

Mais de 30 mil estão desabrigados no Piauí. Em algumas escolas de Teresina, as aulas foram suspensas. Os corredores e as salas agora são abrigos improvisados. ?Não pude tirar as coisas de dentro de casa. Perdi tudo?, lamenta a desabrigada Francisca Antônia Gomes.

No interior do estado, a situação também é crítica. Dezenove municípios decretaram situação de emergência. Alguns estão isolados, com estradas cortadas por enxurradas.

Na região norte, dois rios subiram mais de dez metros. Em Esperantina e em Barras, a água chegou ao teto das casas. Centenas de famílias estão em abrigos. "É ruim demais, mas é o jeito. O que eu posso fazer??, pergunta a agricultora Maria de Jesus Silva.

Maranhão

No Maranhão, seis estradas permanecem bloqueadas por causa da chuva. A demora na recuperação da BR-316 provoca uma longa espera na rodovia que liga o Norte ao Nordeste do país. O motorista Luís Vieira disse que está parado na rodovia há dez dias.

Os caminhoneiros fizeram um protesto contra o atraso na reconstrução do trecho que foi levado pelas chuvas há quase duas semanas. Por causa do bloqueio, milhares de passageiros tiveram que seguir a pé por mais de seis quilômetros, até o trecho interrompido.

O Exército montou uma operação de emergência para fazer o transporte dos moradores da região. Para seguir viagem pela BR-316, só de bote.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) tenta, há uma semana, tapar a cratera no asfalto. Mas o excesso de chuva dificulta o trabalho. Não há previsão para liberação da pista.

Fonte: g1, www.g1.com.br