Chuva mata mais 4 em São Paulo e número de vítima chega a 69

Chuva mata mais 4 em São Paulo e número de vítima chega a 69

Com isso, subiu para 69 total de mortes no Estado por causa das chuvas desde dezembro

Um deslizamento de terra atingiu, na noite desta quinta-feira (28), duas casas no bairro Aparecida, em Francisco Morato, na Grande São Paulo, e matou três pessoas da mesma família soterradas.

O soterramento aconteceu por volta das 22h e os corpos de dois idosos e uma adolescente foram encontrados cerca de cinco horas mais tarde, na madrugada desta sexta-feira (29). A menina era filha do casal. Outras quatro pessoas que moravam no local do deslizamento conseguiram escapar do desmoronamento.

Com as três vítimas de Francisco Morato e a confirmação da morte de uma criança de 12 anos que caiu em um bueiro na tarde desta quinta e foi arrastada, o número de mortos no Estado de São Paulo por causa das chuvas chega a 69 desde primeiro de dezembro.

Encontrado

No fim da noite de quinta, o corpo do garoto que foi arrastado pela água da chuva para dentro de um bueiro foi encontrado no Parque Santo Antônio, zona sul de São Paulo. O corpo estava a cerca de 10 km do local onde desapareceu.

A chuva desta quinta provocou 17 pontos de alagamento na cidade. Toda a cidade de São Paulo entrou em estado de atenção às 14h55. O alerta só foi retirado às 17h05. O estado é decretado quando há riscos de desabamentos e alagamentos na cidade por causa das chuvas.

O CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) informa que até o final da semana o tempo continuará instável, com chuvas localizadas e pancadas de intensidades moderadas a fortes. A chuva deve dar uma trégua no início da semana que vem na capital e na Grande São Paulo.

Janeiro mais chuvoso

Este mês é o janeiro mais chuvoso na cidade de São Paulo desde janeiro de 1947, de acordo com informações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). As medições começaram a ser feitas em 1943.

Até as 16h desta quinta-feira (28), foram registrados 468,6 milímetros de chuva no Mirante de Santana, na zona norte da capital. O recorde ainda é o mês de janeiro de 1947, quando choveu 481,4 milímetros. Desde o começo do verão, não choveu em apenas dois dias na capital paulista.

O órgão já contabiliza 29 cidades em situação de emergência: Atibaia, Bofete, Bom Jesus dos Perdões, Caieiras, Caiuá, Capivari, Chavantes, Cotia, Franco da Rocha, Getulina, Guararema, Inúbia Paulista, Itapevi, Lucélia, Lourdes, Manduri, Mineiros do Tietê, Mirassol, Osasco, Oscar Bressane, Pardinho, Pracinha, Presidente Venceslau, São José do Rio Preto, São Lourenço da Serra, Santa Barbara D"Oeste, Santo André, Santo Antônio do Pinhal, Sumaré.

Fonte: R7, www.r7.com