Chuvas causam 35 mortes e prefeito alerta para pessoas não saírem de casa

Chuvas causam 35 mortes e prefeito alerta para pessoas não saírem de casa

Os Bombeiros afirmam também que ocorreram 22 desabamentos na cidade até as 7h desta terça-feira.

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, afirmou que o número de mortos por causa da chuva no Rio de Janeiro chega a 35. No morro do Borel, na Tijuca, a bebê Ana Marcele Barbosa, de cinco meses, uma jovem de 16 anos e Francisca Bezerra de Souza, 60 anos, morreram soterradas no desabamento da casa. Cerca de outras 12 pessoas ficaram feridas.

No morro dos Macacos, em Vila Isabel, foram três vítimas fatais. Um deslizamento de terra causou mais um óbito no morro do Andaraí e outro no morro do Turano, ambos na zona norte. A chuva deixou mais uma vítima fatal no bairro do Recreio, na zona oeste.

A prefeitura de Niterói afirmou que as mortes no município em decorrência do temporal chegam a 14. Em São Gonçalo, o número chega a nove. Segundo os Bombeiros, muitas pessoas estão desaparecidas.

Prefeito recomenda que evitem sair de casa

Em comunicado, o prefeito Eduardo Paes pediu que a população evite os grandes deslocamentos de pela cidade, principalmente em direção ao centro.

"A situação é de caos. Todas as vias estão interrompidas e é um risco enorme para quem tentar sair de casa. Não saiam de casa, não levem seu filho à escola até que possamos avaliar melhor a situação e alterar a orientação. Ainda chove muito. Se preservem e tomem muito cuidado, principalmente as pessoas que moram em áreas de risco. A situação é muito crítica", disse o prefeito.

Mais chuva

Segundo a Climatempo, a chuva ainda deve atingir o Rio. Uma forte frente fria avança pelo Sudeste do Brasil e o intenso contraste térmico entre o ar polar e o ar quente tropical mantém as condições de chuva constante. Além disso, a temperatura superficial das águas do Atlântico, perto do litoral fluminense, está cerca de 2°C acima do normal.

Em menos de 12 horas foram acumulados, em algumas áreas da cidade, cerca de 300 mm de chuva. No geral o volume acumulado variou entre 150 e 300 mm. O volume normal para todo o mês de abril é de cerca de 140 mm. Ainda chove de forma constante ao longo do dia de hoje, totalizando pelo menos cerca de 70 mm nesta terça-feira. Além disso, o mar sobe muito nas próximas 24-36 horas. Há previsão de ressaca entre esta quarta e quinta-feira.

Aeroportos

O aeroporto Santos Dumont, às 9h20, estava fechado para pousos e decolagens desde às 6h32 desta terça-feira. Às 9h, quando foi emitido o último boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), o aeroporto tinha dois voos atrasados - o equivalente a 5,6% do total de 36 - e 13 cancelados (36,1%). Em todo a manhã, foram quatro atrasos (11%)

De acordo com a Infraero, o Galeão, às 9h25, estava aberto e funcionava por instrumentos. A empresa registrava, também às 9h, seis atrasos (20% do total de 30 voos) e nenhum cancelado. Em todo o dia, até as 9h, foram 12 atrasos (40%).

Trens

A SuperVia afirmou nesta manhã que, devido às fortes chuvas que estão ocorrendo desde o fim da tarde de segunda, a circulação dos trens está alterada por medida de segurança.h Os trens do ramal Saracuruna não estavam circulando por volta das e 8h20 os trens das linhas Campo Grande, Bangu e Deodoro não fazem paradas nas estações Praça da Bandeira, São Cristóvão, Maracanã e Mangueira. Nos demais ramais (Japeri, Santa Cruz e Belford Roxo), a circulação registra atrasos médios de 10 minutos. Os passageiros estão sendo informados das alterações pelo sistema de som das estações.

O temporal e a dificuldade de locomoção nas ruas do Rio e Niterói comprometem a operação das Barcas S.A., já que parte da tripulação (comandantes, chefes de máquinas, marinheiros, amarradores de corda etc.) não está conseguindo chegar às estações da Praça XV, Niterói e Charitas. Dessa forma, em vez de 10 minutos, as partidas estão sendo feitas com intervalos de 20 minutos na linha Niterói-Praça XV. O trecho Charitas-Praça XV está inoperante.

Aulas suspensas

A Secretaria de Educação do Rio anunciou que os estabelecimentos de ensino da rede municipal devem suspender as aulas nesta terça-feira. A decisão se deve aos alagamentos causados pelo temporal de 13 horas que atingiu a cidade. A informação é da Globo News.

Ministério Público fechado

O Ministério Público (MP) suspendeu as atividades em todo o Estado devido à forte chuva que atinge o Rio de Janeiro.

Fonte: Terra, www.terra.com.br