Chuvas já deixaram 72 mortos neste verão em São Paulo

Chuvas já deixaram 72 mortos neste verão em São Paulo

Idosa e garoto estão desaparecidos na zona leste de SP após a chuva de quarta

Com a morte de dois homens na noite da última quarta-feira (3) após as chuvas, um por causa da queda de uma árvore e outro atingido por um raio, sobe para 72 o número de mortes provocadas pelas chuvas deste verão em todo o Estado de São Paulo. Durante o temporal, um homem morreu após ser atingido por um raio no Pari, região central da capital. No outro caso, um senhor de 74 anos morreu quando uma árvore caiu em cima de seu carro, próximo à ponte Jânio Quadros. Ele foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

Além das duas pessoas mortas, o temporal que atingiu São Paulo deixou dois desaparecidos na região de Cidade A. E. Carvalho, na zona leste de São Paulo. Uma mulher de 72 anos e um garoto de 11 sumiram após serem arrastados pela enxurrada que se formou com o transbordamento do córrego Jacupeval, que passa pela avenida Caititu. Bombeiros foram acionados, mas até a manhã desta quinta, os dois não tinham sido localizados.

Entre as vítimas das chuvas desde o dia 1º de dezembro, 44 morreram por causa de deslizamentos, 16 por causa de enchentes e inundações e 9 atingidas por raios.

Várias pessoas, entre elas crianças, ficaram ilhadas e foram resgatadas pelos bombeiros na quarta. A Defesa Civil Municipal informou que algumas residências localizadas na rua Agreste de Itabaiana, também na zona leste, desabaram, mas não houve feridos.

O boletim da Defesa Civil Estadual, divulgado na última quarta-feira (3), aponta que há 5.339 pessoas desabrigadas e 22.804 desalojadas por causa das chuvas desde o dia 1ª de dezembro de 2009, que estão abrigadas em casas de parentes ou amigos. O total de feridos já chega a 52.

Já são 38 cidades em estado de emergência em São Paulo: Álvares Machado, Araçatuba, Atibaia, Bofete, Bom Jesus dos Perdões, Caieiras, Caiuá, Carapicuíba, Capivari, Chavantes, Cotia, Ferraz de Vanconcelos, Francisco Morato, Franco da Rocha, Getulina, Guararema, Inúbia Paulista, Iporanga, Itaquaquecetuba, Itapevi, Lucélia, Lourdes, Manduri, Mineiros do Tietê, Mirandopolis, Mirassol, Osasco, Oscar Bressane, Pardinho, Pracinha, Presidente Venceslau, Ribeirão Pires, São José do Rio Preto, São Lourenço da Serra, Santa Barbara D"Oeste, Santo André, Santo Antônio do Pinhal e Sumaré.

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) informou que o mês de janeiro de 2010 ficou a um milímetro do recorde histórico de volume de chuvas. Até as 9h de domingo (31), foram registrados 480,5 mm de chuva na capital paulista, enquanto o recorde é de 481,4 mm.

O Diário Oficial da Cidade de SP trouxe na edição de quarta um decreto assinado pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), que coloca 12 bairros da capital em estado de calamidade pública. Os bairros fazem parte da região do Jardim Romano, que está alagado por causa das chuvas desde 8 de dezembro de 2009.

Fonte: R7, www.r7.com