Chuvas destróem parques ambientais

A situação preocupa, visto que, na semana que se comemora o Meio Ambiente em todo o Piauí

Após as chuvas que castigaram todo o Estado, onze dos 41 parques ambientais existentes em Teresina estão em situação crítica. Nove deles foram completamente destruídos pelos rios que cortam a capital e dois tiveram os estragos causados pela própria chuva. A informação, revelada com exclusividade ao Jornal Meio Norte, foi repassada na manhã de ontem (02) pelo atual secretário municipal do Meio Ambiente, Clóvis Junior.

A situação preocupa, visto que, na semana que se comemora o Meio Ambiente em todo o Piauí, vários parques com uma representatividade única para o Estado hoje se restringem à lama. Árvores centenárias de muitas espécies diferentes foram arrancadas e levadas pela forte correnteza dos rios.

Na capital, três parques apresentam a situação mais complicada. Segundo o secretário, o Jardim Botânico do Mocambinho, o parque do Encontro dos Rios e o parque do Poty I perderam uma boa parte de suas características. ?As chuvas e as enchentes causaram muitos estragos aos nossos parques. Estamos agora avaliando esses estragos e estabelecendo prioridades para reformálos?, garantiu.

Mas essa não será uma tarefa fácil. Clóvis Junior revelou que só para reformar quatro parques da cidade

serão precisos quase R$ 200 mil. ?O orçamento que fizemos para reestruturar esses parques ficou nesse valor. Fizemos um levantamento em termos de recursos e o valor do orçamento foi esse?, afirmou.

Hoje, a prioridade é a limpeza. O secretário informou que a SEMAM está trabalhando em parceria com todas as SDUs no sentindo de ?arrumar a casa?. ?Já iniciamos com as superintendências a limpeza de todos os parques. Primeiro retiramos o grosso que ficou e agora iremos focar na limpeza mais

detalhada e na arborização?, comentou.

Vistoria vai avaliar situação das margens do Poti

Para isso, nesse próximo domingo (07), técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente já irão fazer uma vistoria técnica em toda a extensão do rio Poti na capital. ?Iremos avaliar os estragos e fazer um levantamento e um estudo do assoreamento do rio. Já iniciamos o trabalho de fora para dentro. Agora vamos avaliar a real situação do leito do rio e avaliar também os estragos de degradação causados nesse período chuvoso?, conta.

Segundo ele, a ideia agora é reflorestar toda a margem do rio e recuperar os parques danificados. ?A prefeitura de Teresina vem ao longo dos últimos anos propondo a rearborização da cidade. Dentro do projeto Verde que te quero Verde já conseguimos trabalhar mais de 170 mil mudas, entre plantadas

e doadas à comunidade. A nossa meta é criar, no mínimo, dois parques ambientais por ano e até o final dessa gestão queremos chegar a 350 mil mudas de plantas trabalhadas?, destacou.

Fonte: Marcos Prado, Jornal Meio Norte