Ciclista estava na via quando foi atingido por Thor, diz delegado

Arruda trabalha com a hipótese de que Santos foi atropelado ao cruzar a via

O delegado Mário Roberto Arruda, responsável pelo inquérito da morte de Wanderson Pereira dos Santos, atropelado na noite de sábado pelo filho do empresário Eike Batista, afirmou nesta quarta-feira que descarta a possibilidade do atropelamento ter ocorrido no acostamento do km 101 da rodovia Washington Luís, em Duque de Caxias (RJ).

Arruda trabalha com a hipótese de que Santos foi atropelado ao cruzar a via. Com isso, a única possibilidade de Thor ser indiciado por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) é se os laudos técnicos apontarem excesso de velocidade.

O delegado solicitará novo laudo técnico - perícia de cálculo - para detectar a velocidade real do carro. Dentro de 15 ou 20 dias Arruda deve receber os laudos finais e finalizar o inquérito, a ser encaminhado para a Justiça.

Caso seja comprovada velocidade inadequada, ocorre o que a polícia chama de culpa concorrente, quando ambos têm responsabilidade - Wanderson estaria errado ao atravessar a via naquele ponto. "Aqui é um local que tem muita travessia de gente de bicicleta", afirmou o delegado. Nesse quadro, Thor responderia a homicídio culposo, cuja pena em eventual condenação pode se estender de dois a quatro anos de detenção, além de suspensão ou proibição de se obter a habilitação para dirigir. A pena pode ser aumentada em um terço à metade se acabar demonstrado que houve omissão de socorro. Se comprovado que Thor trafegava dentro da velocidade permitida, a responsabilidade pelo acidente passa a ser inteiramente do ciclista, e o filho de Eike fica livre de qualquer penalização.

O chefe de investigação Humberto Souza revelou que um estudante de Medicina, que não teve a identidade revelada, prestou depoimento e disse ter passado pelo corpo de Wanderson após o atropelamento. Segundo seu relato, o carro de Thor estava a cerca de 100 m de distância.

"Você viu que matou um homem ali atrás?", disse o estudante de Medicina a Thor ao passar por ele. Como resposta, de acordo com a testemunha, Thor disse: "Ele atravessou na minha frente".

Ao deixar a sede da 61ª Delegacia de Polícia, em Xerém, Duque de Caxias (RJ), o filho do empresário bilionário Eike Batista se disse convicto de sua inocência e garantiu amparo a família de Wanderson. "Lamento profundamente a perda do Wanderson, entendo a dor da família, e, mesmo convicto da minha inocência, vou prestar todo o apoio que eles necessitarem."


Ciclista estava na via quando foi atingido por Thor, diz delegado

Fonte: Terra