Cinco veículos são incendiados na nona noite de atentados em SC

Cinco veículos são incendiados na nona noite de atentados em SC

Entre a noite de quinta e a madrugada de sexta, 4 cidades foram atacadas. São Bento do Sul registrou o primeiro caso de ataque nesta madrugada

A nona noite de ataques em Santa Catarina registrou mais cinco veículos incendiados em quatro diferentes atentados por todo o estado. Com as ocorrências em São José, Navegantes , Chapecó e São Bento do Sul, o número de ataques subiu para 78 e chegam a 25 as cidades atingidas pela segunda onda de crimes. Segunda a polícia, três carros, um caminhão e um ônibus foram incendiados entre a noite de quinta-feira (7) e a madrugada de sexta (8). Não houve feridos em nenhum dos casos e, até as 3h30, ninguém havia sido preso.

Os novos ataques começaram por volta das 20h30, na Grande Florianópolis. No bairro Ipiranga, no município de São José, um ônibus foi parcialmente incendiado, segundo o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar (PM) da cidade. Segundo informações dos dois órgãos, os bombeiros conseguiram apagar o fogo antes da destruição total do veículo.

Por volta das 23h20, a cidade de Navegantes, no Vale do Itajaí, registrou a segunda ocorrência da noite. Segundo a PM, criminosos atearam fogo em dois automóveis, que foram parcialmente queimados. O ataque, conforme a Polícia, foi no Bairro São Paulo.

Já na madrugada de sexta-feira (8), São Bento do Sul, no Norte do Estado, registrou sua primeira ocorrência nesta segunda onda de ataques pelo estado. Por volta de 0h10, criminosos incendiaram um caminhão no bairro Centenário. Conforme informações da polícia, vizinhos ouviram um barulho e chamaram o proprietário do veículo, que conseguiu conter as chamas.

Por volta da 1h30, um veículo de pequeno porte também foi incendiado, no Bairro São Cristovão, em Chapecó. Segundo informações da Polícia, cinco menores atearam fogo no automóvel e a própria guarnição da PM controlou o incêndio. O proprietário do carro, que teve danos no estofamento e tem placas de São Paulo, não foi localizado.

De acordo com órgãos de segurança, os ataques podem ter relação com denúncias de maus-tratos em presídios catarinenses, transferências de presos e repressão ao tráfico de drogas. Entre a noite da última quarta-feira de janeiro (30) e a madrugada desta sexta (8) foram confirmados 78 atentados em Santa Catarina. Os criminosos escolhem como alvo principalmente ônibus e outros tipos de veículos, edificações de órgãos públicos e casas de profissionais que atuam em órgãos de segurança pública.

Entenda o caso

A segunda onda de atentados em Santa Catarina começou na noite de quarta-feira (30), no Vale do Itajaí. Até 2h30 desta sexta-feira (8), a Polícia Militar havia confirmado 78 ataques. Veículos foram incendiados e foram disparados tiros e jogados coquetéis molotov contra prédios públicos. As ocorrências foram registradas em 25 municípios: Navegantes, São José, Florianópolis, Criciúma, Itajaí, Palhoça, Camboriú, São Francisco do Sul, Laguna, Araquari, Gaspar, Joinville, Balneário Camboriú, Jaraguá do Sul, Maracajá, Ilhota, Tubarão, Chapecó, Indaial, Brusque, Blumenau, Garuva, Bom Retiro, São Bento do Sul e São João Batista.

O policiamento foi reforçado em todas as regiões. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a suspeita é que as ordens sejam comandadas por uma facção criminosa e partam de dentro dos presídios. As autoridades investigam a relação dos ataques com denúncias de maus-tratos no Presídio de Joinville e com transferências de detentos no sistema prisional do estado. Em Joinville e Florianópolis, são feitas escalas especiais de escolta para os ônibus do transporte coletivo. A Polícia Militar disponibilizou um disque denúncia para qualquer informação relacionada aos atentados, que podem ser feitas de forma anônima. O número é 181.

Em novembro de 2012, quando aconteceu a primeira onda de atentados, durante sete dias foram confirmados 58 atentados em 16 municípios catarinenses. Os ataques cessaram depois do anúncio da saída do diretor da Penitenciária de São Pedro de Alcântara.

Fonte: G1