Cinegrafista que foi atingido por rojão durante protesto teve morte cerebral, diz exame médico

Exames mostraram que 90% do lado esquerdo do cérebro de Santigo Ilídio Andrade estariam sem irrigação

O cinegrafista da Rede Bandeirantes Santiago Ilídio Andrade, de 49 anos, teve morte cerebral na manhã desta segunda-feira. Santiago estava internado em estado grave no Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro, desde o último dia 6. Os médicos teriam feitos exames que mostraram que 90% do lado esquerdo do cérebro do cinegrafista estariam sem irrigação. Na porta do hospital, muitos amigos e colegas do cinegrafista choram e lamentam o acontecido.

Santiago foi atingido na cabeça por um rojão, teve afundamento craniano e perdeu parte da orelha esquerda e foi submetido a uma cirurgia de cerca de quatro horas. Dois drenos chegara a serem colocados na cabeça do cinegrafista para diminuir a pressão craniana, e no sábado uma tomografia realizada no hospital havia comprovado que a hemorragia intracraniana teria sido controlada.

O cinegrafista tinha 20 anos de profissão, dez deles na Rede Bandeirantes. Santiago ganhou dois prêmios de mobilidade urbana com reportagens sobre o transporte no Rio, em 2010 e 2012.

Casado há 30 anos, ele deixa a mulher, Arlita Andrade, uma filha e três enteados.



Na manhã desta segunda-feira, em entrevista ao Bom Dia Brasil, a mulher do cinegrafista disse que não acreditava que seu marido sobrevivesse ao ferimento que sofreu durante a manifestação.

? Quando eu entrei (no hospital), senti que ele não estava mais lá. Fiquei pensando que eu tenho que mostrar que ele não pode estar indo embora em vão. Meu marido é só mais uma pessoa, mas não quero que o nome dele seja esquecido ? afirmou Arlita.



Tatuador acusado de portar rojão foi transferido para presídio

O tatuador Fábio Raposo, que aparece em imagens dos protestos carregando o rojão, foi transferido na manhã desta segunda-feira para o Presídio Bandeira Estampa, em Gericinó, segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap). Ele foi preso no domingo e indiciado por tentativa de homicídios e explosão. Fábio busca se beneficiar da delação premiada. Ele teria entregado o rojão ao homem que o disparou. Policiais da 17ª DP (São Cristóvão) tentam identificar o homem a quem ele teria entregue o rojão, que aparece nas imagens vestindo uma camiseta cinza e calça jeans.

O advogado Jonas Tadeu Nunes, que defende o tatuador Fábio Raposo, disse, em entrevista à CBN na manhã desta segunda-feira, que já sabe a identidade do ativista que acionou o rojão que atingiu a cabeça do cinegrafista durante a manifestação no Centro. Jonas Nunes, que não quis revelar o nome do rapaz, disse que levaria o nome para o delegado Maurício Luciano de Almeida, titular da 17ª DP (São Cristóvão).

Fonte: OGlobo