Circuncisão masculina reduz risco de câncer e aumenta a fertilidade

A circuncisão é mais realizada em crianças

A maioria dos homens adultos morre de medo de pensar em um bisturi chegando perto de seu pênis. Porém, houve um aumento significativo nos procedimentos de circuncisão de adultos ao longo dos últimos anos. Os homens que não se submeteram à circuncisão quando crianças estão, em geral, superando seus medos de realizar a liberação total da glande.

1- A circuncisão era mais comumente realizada em crianças

Embora mais adultos estejam à procura de circuncisão, o procedimento é mais comum em crianças. Ele envolve a remoção do prepúcio do pênis, e, de acordo com o Dr. Turek, geralmente é feito por“razões ritualísticas e culturais”. “A Academia Americana de Pediatria diz que o procedimento não é rotineiramente recomendado para lactentes, em normas de 50 anos atrás. A circuncisão tem sido associada com a falta de higiene, e falta de higiene tem sido associada com problemas de saúde em crianças. Atualmente, nos Estados Unidos, a única coisa que a circuncisão faz para meninos é reduzir a taxa de infecções do trato urinário”, disse ele.

Para os adultos, tais infecções não são muito graves, mas podem levar a problemas em crianças. Embora a circuncisão seja amplamente praticada, está se tornando muito menos comum para as crianças. No entanto, novos estudos descobriram benefícios de saúde da circuncisão. Essas descobertas conduziram a um aumento no número de homens adultos submetidos ao procedimento.

Porém, a pequena cirurgia é muito menos intensa em crianças, exigindo menos procedimentos. Em contraste, na fase adulta, é necessário que o paciente receba anestesia, passe por uma operação relativamente rápida e receba algumas suturas. Além disso, as crianças curam-se na mesma noite de sua circuncisão, enquanto os adultos demoram muito mais no processo. Em adultos, muitas vezes, é preciso abster-se de sexo durante pelo menos uma semana, para recuperação.

2- A cirurgia pode reduzir o risco de DSTs

A circuncisão evita a propagação de doenças sexualmente transmissíveis virais, incluindo HIV, herpes e HPV – este sendo conhecido por causar verrugas genitais e câncer cervical. “Os dados são indiscutíveis, eles vêm de três ensaios patrocinados pelo governo dos Estados Unidos realizados em três locais diferentes. Os cientistas ainda estão trabalhando para determinar o quanto a circuncisão é capaz de reduzir a disseminação dessas infecções virais”, disse Turek. No entanto, ele diz que a teoria é que o prepúcio atue como um reservatório de secreção, contendo os vírus, tais como HIV e herpes.

Além disso, com essas secreções residentes na pele excedente, o tempo de contato com alguém que não tem o vírus pode ser aumentada. “A pele peniana – prepúcio – é como a pele da pálpebra, muito fina. O aumento do tempo de contato de potenciais agentes patogênicos virais pode ser determinante”, acrescentou ele, dizendo que a circuncisão reduz esse acúmulo e limita o tempo de contato. “É por isso que as taxas de infecção por HIV foram reduzidas em 60% nos homens circuncidados nos estudos”, completou. No entanto, a circuncisão não teve qualquer efeito sobre a propagação de doenças sexualmente transmissíveis virais, como clamídia e gonorreia.

3- Também reduz o risco de câncer de pênis

O câncer de pênis é extremamente raro, de acordo com Turek, e a doença é praticamente inexistente nos homens circuncidados. “Efetivamente, os únicos homens que têm câncer do pênis – que ninguém jamais iria querer – são os homens não circuncidados”, disse ele.

Os cientistas acreditam que o câncer de pênis – assim como o câncer do colo do útero – possa ser causado pelo papilomavírus humano (HPV). “Alguns tipos de câncer de pênis têm uma formação pré-maligna que se parece com verrugas. Elas crescem da mesma forma e se parecem com elas. Por isso, acho que eles estejam diretamente relacionados”, acrescentou o Dr. Turek. Como a circuncisão reduz a transmissão de HPV, pensa-se também que ela possa reduzir a probabilidade de um homem desenvolver câncer de pênis.

4- Não afeta o prazer obtido durante o sexo

Algumas pessoas acreditam que passar pela circuncisão pode tornar o sexo mais agradável. No entanto, de acordo com o Dr. Turek, a circuncisão não tem efeito sobre as sensações durante o sexo. “A maioria dos homens que recebe a operação quando adultos – que podem comparar o sexo antes e depois da remoção do prepúcio – não nota muita diferença”, disse o especialista.

Turek explicou que o ponto G masculino não é afetado pelo processo pois ele está localizado na parte inferior do pênis, e não no prepúcio. De qualquer maneira, o pênis é um órgão sexual que não foi projetado para ser aprimorado através da circuncisão. “O pênis não foi feito para ser circuncidado, então há algo relevante para a função de fazê-lo ir para frente e para trás da pele para aumentar a velocidade de solavancos que aumentam o prazer”, relatou ele.

5- Pode aumentar a fertilidade

Alguns homens que se consultam com o Dr. Turek e mostram o desejo de realizar a circuncisão têm problemas com a fertilidade. Mais comumente, os homens estão sofrendo de distúrbios chamados fimose e balanopostite. “A fimose é a incapacidade de retrair o prepúcio por ele ser muito apertado, podendo causar problemas com o sexo e com a fertilidade”, disse o especialista, completando que a condição, geralmente, é mais encontrada em diabéticos.

O mesmo acontece com os casos de balanopostite. “É a inflamação das glândulas. A cabeça do pênis fica inflamada e causa coceira ou vermelhidão. Ás vezes é difícil de erradicar, caso o pênis esteja sempre coberto. No entanto, uma vez que o prepúcio é removido, esses problemas são, normalmente, corrigidos”, acrescentou.

Fonte: Com informações do Jornal e Ciência