Climatizador ecológico feito de garrafas PET da UFPI conquista prêmio

O CLIMA-PET nasceu da necessidade de dar conforto à população que enfrenta o calor de mais de 35Cº no Piauí e não possuem condições de comprar um aparelho de ar-condicionado.

O projeto CLIMA-PET (Climatizador evaporativo ecológico de painel evaporativo de garrafa PET) desenvolvido pelo professor de física João Marcello Pereira do Colégio Técnico de Bom Jesus, e pelos estudantes João Batista Coêlho Sobrinho e Keila Figueiredo da Silva, conquistou o 2ª lugar na premiação da I Mostra de Ideias do III Congresso Estadual de Iniciação Científica (III Ceic), do Instituto Federal Goiano (IF Goiano). No evento foram apresentados 265 trabalhos desenvolvidos nos programas de Iniciação Científica (Pibic), Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico (Pibiti) e Inovação e Iniciação Científica voluntária (Pivic).

De acordo com o professor João, o CLIMA-PET nasceu da necessidade de dar conforto à população que enfrenta o calor de mais de 35Cº no Piauí e não possuem condições de comprar um aparelho de ar-condicionado. O projeto é considerado uma alternativa aos climatizadores comerciais que usam painel evaporativo de papel kraft resinado que no mercado possui o custo médio de R$ 150 substituindo este tipo de painel por um feito com filetes de garrafa PET tratados mecanicamente ao custo zero. Se o mesmo projeto fosse desenvolvido com matérias do mercado, o investimento seria de R$ 2.000 a 5.000, mas com os materiais alternativos o gasto caiu para R$ 270.

O CLIMA-PET também é constituído por composto por um balde de 100 ou 200L, exaustor de 40cm, bomba de aquário, eletrodutos, boia de caixa d'água e filetes de garrafa PET. Cada painel evaporativo é formado em média por 100 garrafas PET que são filetadas e tratadas mecanicamente para permitir a retenção de água e troca de calor com ar externo.

O climatizador ecológico é totalmente funcional, nos testes realizados no Congresso Cientifico ele conseguiu diminuir em até 11º C a temperatura ambiente, surpreendendo até os desenvolvedores, já que nos testes feitos no Piauí a temperatura sofreu uma redução de apenas 8º C. O professor explica que o CLIMA-PET funciona como qualquer outro climatizador comercial. “O material PET na forma original é muito hidrofóbico, ou seja apresenta baixíssima absorção e retenção de água. No entanto, quando sua superfície é tratada mecanicamente, a hidrofobia do PET é reduzida retendo uma fina camada de água na superfície. A água retida na superfície dos filetes de PET retira energia térmica do ar e muda de fase, passando do estado liquido para o estado gasoso, processo chamado de resfriamento evaporativo. A eficiência do resfriamento evaporativo é inversamente proporcional à umidade maior é o resfriamento obtido pelo aparelho”, esclarece.

Confira a matéria completa no Jornal Meio Norte desta quarta-feira (01)

Fonte: Rhauan Macedo