Reconstrução da barragem Algodões I começa em 2012

Reconstrução da barragem Algodões I começa em 2012

A obra será executada pelo Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI).

O coordenador do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs- PI), José Carvalho, informou que o Ministério da Integração Nacional já autorizou a reconstrução da barragem de Algodões I, em Cocal da Estação.

Segundo o gestor, a obra terá início até o começo de 2012 e será executada pelo Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI) através de uma parceria entre o Dnocs e o Governo do Estado. Além de autorizar a reconstrução de Algodões I, o Ministério da Integração Nacional já liberou 1,4 milhão para obras de manutenção nas barragens de Cajazeiras, Joana e Caldeira.

José Carvalho explica que as obras de manutenção nas barragens devem ser licitadas até o final do ano. “Esperamos que até o final do ano as obras já estejam licitadas e que possamos autorizar a ordem de serviço. As barragens de Cajazeiras, Joana e Caldeira, além das barragens de Bocaina e Caldeirão, são os principais reservatórios sob a responsabilidade do Dnocs”.

O coordenador lembra que a lei Nº 10334/2010 criou a política nacional de segurança de barragens, que estabelece que a responsabilidade pela manutenção das barragens é de quem construiu. Além de suprir as necessidades de abastecimento de água, José Carvalho explica que as barragens devem também servir para outras atividades, como produção e lazer.

“As barragens não podem servir apenas para o abastecimento de água. Em muitas localidades há outras atividades complementares, como em Bocaina, que tem 600 tanques redes para a criação de peixes. A barragem de Caldeirão, em Piripiri, é um exemplo de aproveitamento integral, pois ela é utilizada para lazer, piscicultura e abastecimento d’água”.

Segundo ele, até 2014 as áreas dos projetos de irrigação dos Tabuleiros Litorâneos e dos Platôs de Guadalupe serão triplicadas. “A área atual dos Tabuleiros é de 2.445 hectares, ganhará um incremento de mais 5.900 hectares”, afirma José Carvalho.

Fonte: Juarez Oliveira