Caso Eliza: Macarrão será zelador de igreja evangélica

Luiz Henrique Ferreira Romão cumpre pena em regime semiaberto.

Luiz Henrique Ferreira Romão, mais conhecido como Macarrão, conseguiu autorização da justiça para trabalhar como zelador em uma igreja evangélica. Condenado como um dos envolvidos no desaparecimento de Eliza Samudio, o amigo do ex-goleiro Bruno, que também cumpre pena, terá carteira assinada e receberá salário mínimo de R$ 880, além de demais benefícios.

O juiz Pedro Câmara Raposo Lopes, da Vara de Execuções Criminais de Pará de Minas, informou que Mac arrão cumpre os requisitos necessários para receber o benefício. De acordo com a decisão, ele terá que trabalhar das 7h às 17h nos dias de semana e das 7h às 12h aos sábados e será o obrigado a retornar para o Presídio Pio Canedo, onde cumpre pena em regime semiaberto.

O advogado de defesa, Wasley César de Vasconcelos, falou sobre a autorização. Segundo ele, a primeira opção seria desenvolver trabalho como representante uma fábrica de vassouras, mas esta possibilidade foi descartada, já que o réu teria que se deslocar de uma empresa para outra.

"Achamos que isso seria muito inconveniente, porque sendo ele quem é e tendo a fama que ele tem, logo apareceria alguém dizendo que o Luiz Henrique estaria descumprindo a determinação judicial de alguma forma. Por isso, resolvemos esperar um pouco, até que encontrássemos uma oferta de emprego em um local fixo. Surgiu, então, a oferta de trabalho na igreja", disse.

Luiz Henrique Ferreira Romão, mais conhecido como Macarrão, (Crédito:  Maurício Vieira/G1)
Luiz Henrique Ferreira Romão, mais conhecido como Macarrão, (Crédito: Maurício Vieira/G1)


STJ aumenta as penas de prisão do ex-goleiro Bruno e de Macarrão

O ex-goleiro Bruno Fernandes de Souza e o amigo dele, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, tiveram suas penas aumentadas pelo Supremo Tribunal de Justiça(STJ). A decisão do ministro Rogério Schietti Cruz acolhe um pedido do Ministério Público, feito após os advogados de Bruno e Macarrão terem conseguido reduzir a pena inicialmente aplicada.

Bruno foi condenado, em outubro de 2009, a quatro anos e seis meses de prisão por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal contra Eliza Samudio em dezembro de 2010, no processo que corria no Rio de Janeiro desde outubro 2009. E Macarrão tinha recebido condenação de três anos de reclusão por cárcere privado.

A nova sentença aumentou a pena de Bruno para dois anos e três meses de reclusão e a de Macarrão para um ano e quatro meses de reclusão. Essas penas não vão se somar a sentença de Bruno e Macarrão pelo sequestro e morte de Eliza.

Pelo assassinato de Eliza, Bruno foi condenado pela Justiça de Minas Gerais a 22 anos e três meses de prisão. E Macarrão recebeu pena de 15 anos de prisão.

 Eliza Samudio
Eliza Samudio


Fonte: Com informações do G1