Conferência Municipal discute produção agrícola em Teresina

É preciso reverter a baixa produção na zona rural da capital

Ocorreu na manhã de quinta-feira (28), no auditório do Sebrae-PI), em Teresina, a II Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, que tem como objetivo a elaboração de um Plano de Segurança Alimentar em Teresina, incentivando, dessa forma, a produção da agricultura familiar na zona rural.

O evento, organizado pelo Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional de Teresina (Consea) e pela Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (Semtcas) teve como tema: “Comida de Verdade no Campo e na Cidade: por Direitos a Soberania Alimentar”.

De acordo com Teonas Gomes, conselheira do Consea, o tema da discussão põe em questão a qualidade dos produtos alimentícios que a população teresinense tem consumido.

“O que a gente espera dessa conferência é que possamos refletir e melhorar a qualidade dos nossos alimentos. E que possamos comer aquele alimento que chamamos de ‘comida de verdade’. Qual seria essa? É aquela que remete a comida caseira, com aquele sabor e cheiro específicos”, explica.

Teonas Gomes acrescenta ainda que é preciso reverter a baixa produção na zona rural da capital. “A criação do Plano de Segurança Alimentar e Nutricional e a aplicação deste em políticas públicas, se faz necessário para revertemos o quadro de que a maior parte do que consumimos vem de fora, mesmo Teresina possuindo 70% de área rural”, pontua.

Para Mauricéia Carneiro, secretária municipal de Assistência Social (Semtcas), a intenção do evento é discutir sobre a importância de incentivar a produção agrícola e melhorar a qualidade da alimentação dos teresinenses. “Estamos articulando com as secretarias e instituições do município, junto com as cooperativas de produtores rurais.

O que pretendemos é garantir uma produtividade interna, fazendo com que a nossa cidade tenha um desenvolvimento sustentável e, ainda, sensibilizar a própria população para os benefícios de uma alimentação saudável”, disse.

Rosana Martins que é coordenadora do curso de Tecnologia e Alimentos do IFPI, destaca a importância da participação dos estudantes no evento.

“É necessário para os estudantes, pois o tema trata da segurança alimentar. E o curso tecnológico em alimentos também trabalha e atua com a segurança alimentar. Vai, sem dúvida, ampliar o olhar destes estudantes, contribuindo na aprendizagem”, garante.

A Conferência contou com a participação de autoridades e sociedade civil, como: Fundação Municipal de Saúde (FMS), Secretaria de Educação do Estado, Secretaria de Agricultura, associação de agricultores, professores e estudantes de universidades públicas e privadas.

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele