Confira estratégias para realizar as provas do Enem aplicadas nesse fim de semana

Confira estratégias para realizar as provas do Enem aplicadas nesse fim de semana

Professores e alunos destacam, na véspera do Exame Nacional do Ensino Médio, quais são as principais ações para realizar uma prova. Cuidar da saúde e descansar estão entre essas dicas

E falta apenas um dia para que estudantes de todo o Brasil realizem as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014, que serão aplicadas neste final de semana, 8 e 9 de novembro. O número de candidatos inscritos no país é de mais de 8,7 milhões, que representa em relação ao Enem 2013 um aumento de 21,6%.

Já no Nordeste, foram contabilizados mais de 2,8 milhões candidatos inscritos e no Piauí são mais 190 mil inscritos, cujo aumento é de 15,36% em relação à edição passada. Enquanto isso, professores e alunos continuam na expectativa em busca de melhores estratégias e, consequentemente, melhores resultados no dia da execução do exame.

De acordo com Denis Carvalho, psicólogo e professor da UFPI, nas vésperas das provas, o ideal é atentar para o bem-estar da mente e do corpo, além de buscar se divertir de maneira saudável. “Há duas formas de preparação, uma delas é dormir bem, pois com a memória ativa e descansada, ajuda bastante a assimilar as informações e interpretar melhor.

E a outra é cuidar da saúde, fazendo refeições regulares e evitar atividades físicas que tragam riscos de contusão ou dores musculares. Além de relaxar a mente, se divertindo de maneira saudável. Assistir a filmes é uma boa opção”, sugere o psicólogo.

Conforme o profissional, o candidato deve ter cuidado com o tipo de alimentação e com a ansiedade, que podem gerar prejuízos desnecessários para os dias de prova. “Para quem está ansioso, não é recomendável ingerir doces, chocolates e refrigerantes, pois esses alimentos podem provocar um afrouxamento do intestino ou mesmo gerar uma intolerância estomacal.

O ideal é procurar se hidratar, com água ou sucos naturais, frutas de fácil manuseio ou até castanha de caju, que ajudam nas necessidades alimentares do momento”.

O psicólogo e professor sugere, ainda, uma estratégia que contribui para melhores resultados, durante a resolução das questões. “Para a mente, é interessante que o aluno, após fazer uma leitura geral da prova, mapeie uma sequência de questões com níveis de resolução variados, iniciando com as de nível fácil, passando pelo médio e após as de nível difícil.

Pois ele não precisa seguir a sequência sugerida pelo exame. Com isso, aumenta a autoestima do mesmo para dar prosseguimento à prova.

Estudantes recomendam dicas para responder as provas

O estudante Daniel Nascimento, 18, recomenda a estratégia de revezamento por áreas de conhecimento.

"Não sigo as questões na ordem em que estão, vou revezando por áreas, faço umas de humanas e depois algumas de natureza. Fico alternando até concluir a prova", explica o estudante, que além de frequentar o colégio, estuda em média 6h em casa.

Já o candidato Matheus Lemos, 18, que faz o Enem pela terceira vez para Medicina, utiliza uma estratégia diferente, apenas no segundo dia, com a redação.

"No primeiro dia sigo a ordem proposta, já no segundo dia, faço primeiro a redação, que para mim é o mais importante, e depois faço na sequência normal, se tiver muita dificuldade em alguma questão, deixo ela por último, para não perder tempo", revela o estudante que teve rotina intensa de estudos, na qual resolvia 15 questões por dia, das mais variadas áreas, e ainda praticava três redações por semana.

Para a estudante Tainara Nascimento, 17, que fará pela primeira vez o exame, a estratégia é realizar leituras com atenção. "Venho me preparando desde o início do ano, apesar de ser treineira, a estratégia que uso é ler com muita atenção as perguntas e tento entender o que elas pedem.

Além de pegar por áreas com que mais tenho afinidade", comenta a estudante que pretende passar para o curso de Direito ou Medicina.

Ciências Exatas e Naturais são áreas de maior dificuldade

O professor Gilberto Campelo destaca que a área de maior dificuldade dos estudantes, em geral, é Ciências Exatas e Ciências Naturais, em razão de alunos não terem boa base educacional em séries iniciais. "As áreas de Ciências Exatas e Natureza são áreas que, geralmente, eles demonstram mais dificuldade.

Isso se dá por problemas na base educacional, lá no ensino fundamental ou nas duas primeiras do médio. E para que essas dificuldades sejam sanadas, são necessárias aulas de reforço, cursos básicos, mas vai depender, principalmente, do esforço individual do aluno", afirma o professor.

O professor, todo ano, faz uma lista de sugestões de possíveis temas de redações aos seus alunos, para melhor orientá-los. "Tenho várias sugestões, acredito que pode cair a lei sobre antifumo; o lixo, como fator de preservação ambiental e como qualidade de vida; o racismo, como um problema social e político; a mulher no mercado de trabalho, pois nos últimos tempos, mulheres têm assumido chefias de grandes cargos; a lei da ficha limpa e também o marco civil na internet, que regulamenta os aspectos importantes do uso da internet no país. Todas de caráter social"

As provas, no primeiro dia de aplicação, terão duração de 4h30, e serão as de Ciências Humanas e Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Já no segundo, com duração de 5h30, serão realizadas provas com questões de Matemática, Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e ainda a Redação. Os portões de acesso serão abertos, pontualmente, às 12h, e fechados às 13h, segundo o horário de Brasília.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Márcia Sousa