Conheça as profissões que estarão em alta em 2016 no Brasil

Veja abaixo quais são os profissionais mais procurados em 2016

Apesar de algumas empresas estarem investindo menos e reduzindo o quadro de funcionários, mas em "tempos difíceis" pedem profissionais que vistam a camisa da empresa, entendendo as dificuldades e trabalhando um pouco mais. "Tem que se adaptar."

As profissões que estarão em alta em 2016 no Brasil (Crédito: Reprodução)
As profissões que estarão em alta em 2016 no Brasil (Crédito: Reprodução)

É justamente na crise que alguns cargos devem ser mais requisitados pelas empresas.

Profissionais ligados às áreas financeira, jurídica, marketing, tecnologia e logística estão sendo disputados para controlar gastos, dar mais eficiência com menos custo, negociar dívidas e aquisições de empresas e diminuir gargalos na produção e na distribuição.

Veja abaixo quais são os profissionais mais procurados em 2016:

TI: Gerente/Coordenador de Infraestrutura

Salário: de R$ 12 mil a R$ 16 mil

Demanda em 2016: segundo a Michael Page, Infraestrutura de Tecnologia da Informação afeta diretamente a eficiência operacional da empresa e pode trazer reduções de custos. "Eficiência e custos são dois dos principais objetivos das empresas no próximo ano", diz o estudo.

TI: Gerente/Coordenador de Plataformas Mobile e Web

Salário: de R$ 9 mil a R$ 11 mil

Demanda em 2016: há uma tendência de migração do ponto de venda e do relacionamento com os clientes para as redes sociais, outras plataformas e para o e-commerce.

Finanças: Gerente Tributário

Salário: de R$ 12 mil a R$ 17 mil

Demanda em 2016: com o governo aumentando a arrecadação de impostos, somado às alterações na legislação brasileira, a expectativa da Michael Page é que a área jurídica esteja ainda mais no foco das empresas.

Finanças: Controller

Salário: de R$ 16 mil a R$ 21 mil

Demanda em 2016: com o cenário incerto da economia do País, as empresas vão demandar profissionais que acompanhem toda a operação da companhia sob o ponto de vista financeiro, criem relatórios e indicadores, além de liderarem os relatórios dos números para a matriz e/ou acionistas.

Finanças: Gerente de Tesouraria

Salário: de R$ 16 mil a R$ 25 mil

Demanda em 2016: o profissional poderá baratear o custo de "captação" das empresas, melhorar o nível de relacionamento bancário, trazer operações mais engenhosas sob o ponto de vista financeiro, entre outras funções.

Jurídico: Head do Departamento Jurídico

Salário: de R$ 10 mil a R$ 15 mil

Demanda em 2016: em momento de recessão, as empresas têm reduzido os custos e, consequentemente, reduzem o pessoal.  "Com isso, profissionais em cargos executivos com alto custo, além de profissionais muito especializados, tem sido substituídos, dando espaço para profissionais com menos.

Jurídico: Gerente de Contencioso de Volume

Salário: de R$ 9 mil a R$ 14 mil

Demanda em 2016: as empresas precisam de assistência jurídica em decorrência do volume de processos de uma maneira geral. "O foco está na área cível, ações de recuperação de créditos e indenizatórias; também a área trabalhista será bastante demanda".

Marketing e Vendas: Gerente de Inteligência de Mercado

Salário: de R$ 10 mil a R$ 15 mil

Demanda em 2016: com o desemprego e inflação, e consequentemente a queda do consumo, as empresas estão em busca de profissionais sêniores que valorizem a área de Business Intelligence, "avaliando não só as mudanças dos hábitos dos consumidores mas sim os impactos financeiros que estas informações obtidas na hora certa podem gerar nas empresas".

Marketing e Vendas: Gerente de Marketing Digital

Salário: de R$ 10 mil a R$ 14 mil

Demanda em 2016: com o digital ganhando espaço, o profissional de marketing com conhecimento em on-line se destaca por conhecer os processos e ferramentas para esse tipo de público




















Fonte: Com informações do Brasil Post