Construção de casas reacende as esperanças da população de Cocal

No povoado Olho D’Água, 105 homens estão trabalhando em dois turnos em Cocal da Estação

Em ritmo acelerado, no Município de Cocal, segue a construção das casas destinadas aos desabrigados em função da enxurrada provocada pelo rompimento da Barragem Algodões I, há 55 dias. No povoado Olho D?Água, uma das seis localidades escolhidas para a construção das 385 novas habitações, 105 homens estão trabalhando em dois turnos. A expectativa é entregá-las em 120 dias, prontas para serem habitadas por quem perdeu seu lar no desastre.

A obra mobiliza operários contratados e também homens cujas famílias ficaram desabrigadas. É o caso de Francisco das Chagas do Vale Sousa, 35 anos, que morava no Povoado Frecheira de São Pedro, uma das localidades mais atingidas. Com a Carteira Profissional assinada, Francisco disse que está se sentindo muito bem em poder participar da construção das casas. Ele sabe que uma delas irá abrigá-lo definitivamente, bem como sua família.

?Sinto-me bem construindo a nossa casa e espero que a gente se dê bem na nova casa?, declarou Francisco, em meio ao canteiro de obras implantado no povoado Olho D?Água. Ele e sua família estão recebendo, a cada 15 dias, uma cesta básica de alimentos, entregue pela Defesa Civil, e também uma indenização no valor de R$ 5 mil - R$ 500,00 em espécie e R$ 4.500,00 em crédito junto ao comércio local - para comprar móveis e eletrodomésticos.

MESA, CAMA E GELADEIRA

?A casa, em primeiro lugar, estamos recuperando?, contou Francisco das Chagas, trabalhador rural, casado, pai de três filhos. ?Deu para comprar mesa, cama, geladeira, guarda-roupa, sofá?, acrescentou, sem disfarçar a ansiedade para instalar a nova mobília e morar na habitação a ser entregue pelo Governo do Estado, através da Secretaria da Defesa Civil, responsável pela construção das 385 unidades de seis cômodos, inclusive sala, cozinha e dois quartos.

As autoridades resolveram construir as casas em seis agrovilas, espalhadas em diferentes povoados situados na zona rural de Cocal e estruturadas de maneira a proporcionar melhores condições de vida aos moradores das áreas atingidas pelas águas da Barragem Algodões I. Além das habitações, as agrovilas serão equipadas com toda a infraestrutura - saneamento básico, fornecimento de energia elétrica, posto de saúde, escola e ruas pavimentadas.

O Governo do Estado vai investir no total R$ 9,84 milhões na implantação das agrovilas e respectivas casas. É mais uma ação do poder público, que permaneceu presente na vida das famílias vitimadas pela enxurrada em todos os momentos desde o rompimento da Barragem Algodões I, no dia 27 de maio deste ano. Antes mesmo do desastre, o Governo do Estado, por meio de vários órgãos, atuou no atendimento a essas famílias. E vai continuar atuando.

COMÉRCIO MOVIMENTADO

Em relação às indenizações de R$ 5 mil já pagas a 385 famílias desabrigadas, o investimento total significou o equivalente a R$ 1,925 milhão, uma injeção de capital que irá movimentar o comércio local, gerando novos impostos e contribuindo para dinamizar a economia do município. Essas famílias acorreram às lojas e proporcionaram um forte incentivo ao comércio local. É mais um aspecto positivo proporcionado pela ação do Governo do Estado em benefício do município e sua população.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br