Consumidores festejam e fecham negócios com a nova prorrogação do IPI para carros

Consumidores festejam e fecham negócios com a nova prorrogação do IPI para carros

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o Governo resolveu prorrogar por mais dois meses a desoneração do IPI.

As concessionárias teresinenses receberam nas últimas semanas uma leva de consumidores ansiosos para fechar negócio e aproveitar os últimos dias da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros.

Contudo, o Governo resolveu prorrogar novamente o benefício e estender a redução do imposto até o dia 31 de dezembro. Com isso, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em coletiva à imprensa afirmou que o Governo resolveu prorrogar por mais dois meses a desoneração do IPI para automóveis para incentivar a indústria para que a mesma continue vendendo bem e fazendo mais investimentos.

De acordo com o ministro, a última vez que o Governo decidiu estender o benefício ao setor houve uma ?boa reação? da comercialização de veículos nos meses de setembro e outubro. A intenção é que o bom ritmo de vendas prossiga até o final do ano e, se depender dos consumidores teresinenses, a meta será alcançada já que muitos escolhem os últimos meses do ano para trocar de carro e iniciar o ano de automóvel zero.

Para o gerente comercial da Alemanha Veículos, Alexandre Arêa Leão, essa é uma oportunidade para muitas pessoas conseguirem trocar o carro usado por um novo e ainda com as facilidades do IPI reduzido sair com um carro mais completo por um preço acessível. ?Estamos com uma equipe toda preparada para receber bem os clientes e oferecer a eles as melhores oportunidades para comprar o carro zero de acordo com o perfil do cliente, tudo de forma planejada?, declara.

De fato, os especialistas avaliam que prorrogar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) vai ao encontro da intenção de manter os preços dos veículos estáveis e sem aumentos para que possibilite o acesso a esse bem por famílias que se planejam. Com a suspenção do IPI seria bastante provável que houvesse aumento de preços dos veículos novos, conforme declarou em coletiva concedida pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, no início da semana.

Apesar das facilidades, como opções de pagamento de até 60 meses e sem entrada, o brasileiro precisa ter cautela e planejamento para aproveitar o desconto e não assumir mais dívidas do que o orçamento lhe permite.

Pesquisa recente encomendada pelo SPC Brasil revela exatamente este cenário: sete em cada dez brasileiros que pagam financiamento de carros também acumulam outras dívidas com compras parceladas no cartão de crédito. E por isso o planejamento é fundamental para que as contas se mantenham em dias e sem apertos.

Para não perder o controle financeiro e estourar as contas, os economistas do SPC Brasil aconselham que as famílias não comprometam mais do que 30% do orçamento com prestações e gastos decorrentes destas compras. Na prática, em um lar cuja renda seja de R$ 2,2 mil, a prestação de um carro zero mais custos decorrentes do uso do automóvel (combustível, manutenção, impostos e seguro) não deve ser superior a R$ 660.

Medida vai garantir DPVAT parcelado

A partir de agora os condutores de veículos automotores que são obrigados a pagar a taxa do DPVAT (Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), poderão fazê-lo de forma parcelada. A medida passou a valer na última terça-feira, dia 30 de outubro, com a sua devida publicação no Diário Oficial da União através do decreto 7.833, que permite o pagamento dividido em parcelas.

O prêmio do seguro deve ser pago junto com o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores), o que para muitos acaba pesando no bolso e gerando despesas fora do previsto para quem não se planejou financeiramente. Porém o parcelamento é facultativo, cabendo a cada Estado a decisão. No Piauí, por conta da medida ainda ser uma novidade o DETRAN-PI ainda não se posicionou em relação ao parcelamento ou não.

Para fazer parte dos beneficiados com a medida, o parcelamento só será concedido aos proprietários de veículos que estejam registrados em Estados em que o licenciamento dependa da quitação do Dpvat e do IPVA. Mas para quem adquiriu um carro zero, ou está pensando em comprar um carro novo até o final do ano, de acordo com o decreto, os veículos licenciados pela primeira vez não terão direito ao parcelamento do seguro.

?Para mim a medida não vai influenciar tanto porque acho o valor pequeno e prefiro pagar mesmo todo de uma única vez. Mas de certa forma, para quem tem outras despesas no início do ano como material escolar, matrícula dos filhos e outras despesas a possibilidade de parcelamento do DPVAT pode ser uma folga no orçamento doméstico de muitas famílias?, pondera a assessora de comunicação Mayara Araújo Sousa.

Fonte: Marcilany Rodrigues