Corpo de Bombeiro orienta aquisição de extintor de incêndio ABC

Além disso, o novo equipamento está apto a combater incêndios do tipo “A”, que envolvem materiais como roupas, papéis, pneus, tapetes e estofados de automóveis.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTE SÁBADO (20) DO JORNAL MEIO NORTE

 

Instituições, órgãos, empresas em geral e motoristas, a partir de 1ª de janeiro de 2015, devem ficar atentos para a mudança de extintor de incêndio do tipo BC para o ABC.

Dentre as vantagens da mudança está o tempo de validade do extintor BC que dura três anos, já o ABC tem validade de até cinco anos. Além disso, o novo equipamento está apto a combater incêndios do tipo “A”, que envolvem materiais como roupas, papéis, pneus, tapetes e estofados de automóveis.

De acordo com o Tenente do Comando do Corpo de Bombeiro, Lira, o novo extintor é à base de pó, fator que evita que os demais equipamentos que estão próximos danifiquem e ainda proporciona ao operador do extintor de incêndio maior visibilidade durante o manuseio.

“A diferença entre um extintor e o outro, é que o extintor anterior é a base de bicarbonato de sódio, um extintor que produz nos equipamentos eletrônicos ou ferragenosos um efeito de maresia, por exemplo, numa sala fechada se ele for utilizado em um equipamento em princípio de incêndio, todos os outros equipamentos próximos a este será danificado. Já com o ABC, que é à base de pó, trabalha em cima de extinguir o incêndio apenas retirando um dos três elementos que é o oxigênio do local. Ele é lançado do equipamento e não fica em suspensão no ambiente, facilitando até mesmo o campo de visão do operador do extintor”, explica o Tenente Lira.

Segundo Tenente Llira, este tipo de extintor de incêndio já vem sendo utilizado há uns dois a três anos e que a partir de 2015, fase de transição, será advertido quem for pego com o extintor anterior, do tipo BC.

Fonte: Márcia Gabriele