Cozinheira descreve dia da morte de Michael Jackson

Kai - que trabalhava para o músico desde março - contou que estava preparando o almoço do cantor quando o Dr. Conrad Murray, médico particular de Jack

Em entrevista ao programa de Larry King na CNN, exibida na noite dessa quinta-feira (30), a chef de cozinha Kai Chase descreveu como foi o dia 25 de junho na mansão de Michael Jackson. Ela disse que o clima da casa mudou de feliz e pacífico para histérico.

Kai - que trabalhava para o músico desde março - contou que estava preparando o almoço do cantor quando o Dr. Conrad Murray, médico particular de Jackson, a chamou. O doutor é o alvo principal da investigação da polícia sobre a morte do rei do pop.

Por volta das 12h, "Dr. Murray desceu as escadas e começou a gritar: "corra, vá chamar Prince. Chame a segurança. Chame Prince"". A cozinheira rapidamente chamou o filho mais velho de Jackson.

"Minutos depois, os paramédicos chegaram. A segurança correu pelas escadas e de repente tudo virou um pânico", contou ela. "O clima da casa mudou".

Segundo ela, a filha de Jackson, Paris, começou a chorar e a chamar pelo seu pai. A cozinheira disse ainda que ela e todos os funcionários se juntaram em um círculo e rezaram de mãos dadas.

Kai Chase disse que o Dr. Murray era presença frequente na casa de Michael Jackson no mês de junho. Pela manhã, quando ela chegava para trabalhar, a cozinheira costumava ver o médico descendo as escadas com tanques de oxigênio, um em cada braço. E que ela nunca questionou o propósito daquilo.

A chef afirmou também que nada que tenha acontecido no dia anterior causou alarde. "Ele almoçou com as crianças na mesa de jantar. Depois eu fiz um lanche para ele levar para o ensaio. Ele sempre parecia estar cansado". Kai acredita que ele se sentia assim por causa das longas horas de ensaio para a turnê This is It, que ele faria em Londres, a partir de julho.

"No meu terceiro dia de trabalho, ele chegou e disse: "estão me matando. Estão me matando porque estou trabalhando muito. Ensaiando muito", contou a cozinheira.

Entre 13h e 13h30 (horário de Los Angeles), um segurança pediu que ela deixasse a casa e ela não viu o corpo do cantor sendo levado ao hospital. Ela não soube da morte dele até a tarde do dia 25 de junho, quando ouviu no rádio.

Adeus ao rei do pop

Michael Jackson sofreu uma parada cardíaca no dia 25 de junho. O músico chegou a ser conduzido ao UCLA Medical Center, em Los Angeles, mas foi declarado morto às 14h26 (18h26 em Brasília). Especula-se que o cantor possa ter sofrido um enfarto em decorrência do uso excessivo de medicamentos, mas os resultados dos testes toxicológicos da necropsia realizada no corpo só devem ser divulgados em agosto.

Fonte: Terra, www.terra.com.br