Cresce o número de pais piauienses que se dedicam 24 horas por dia aos filhos

Cresce o número de pais piauienses que se dedicam 24 horas por dia aos filhos

Dedicar-se integralmente aos filhos é um comportamento que se vê cada dia mais presente na vida dos pais piauienses

Trocar fraldas, dá banho, alimentar o bebê, levar à creche e ainda trabalhar fora. Esse era um estilo de vida exclusivo das mães até pouco tempo atrás, mas já começa a fazer parte da vida de muitos pais. Eles estão cada dia, com mais frequência, mudando sua rotina e se tornando participantes ativos na hora de cuidar dos filhos.

Para o motorista de ônibus Fernando Mauro Nogueira, essa já é uma rotina comum na sua vida. Ele é pai pela segunda vez e desde o primeiro filho ele contribui ativamente com sua esposa quando o assunto é cuidar dos pequenos.

Ele conta que sua mulher trabalha o dia inteiro e ele só começa a trabalhar às 15h todos os dias, então durante toda a manhã e início da tarde cuidar do pequeno Gustavo, de oito meses, é tarefa dele.

?Eu dou a comida dele, dou banho, troco fralda, acordo no meio da noite. Não tenho dificuldade nenhuma ao fazer isso. Só tive problemas no início, com o meu primeiro filho, mas foram dificuldades normais, que foram superadas rápido. Eu sou um pai coruja?, brincou Fernando. Enquanto ele cuida do filho mais novo, o mais velho está na escola.

Se para eles hoje é uma rotina normal cuidar do bebê, para as mães essa é uma garantia a mais de que o filho está sendo bem cuidado. Talita Costa, que trabalha como consultora de vendas e precisa ficar fora de casa o dia inteiro, afirma que ter um pai tão responsável em casa de olho no seu bebê lhe dá tranquilidade para ficar fora de casa.

?É mais tranquilo deixar com o pai do que com qualquer outra pessoa. O pai do meu filho é muito responsável, muito presente e já me mostrou desde o período da gestação toda a preocupação e cuidado que tem com o filho?, disse.

O empresário Karol Bartolomeu, que também assumiu desde cedo essa função de cuidar dos filhos enquanto a sua esposa trabalha, conta que essa é uma tarefa gratificante. O casal tem duas filhas, uma de sete anos e outra de um ano e 11 meses.

?Todos os dias eu deixo a filha de sete anos na escola e cuido da de um ano e faço isso com o maior prazer. Eu me sinto realizado. No início foi difícil, mas aprendi tudo muito rápido, hoje eu faço pelas minhas filhas tudo o que a mãe delas faria se tivesse por perto?, afirmou.

Amor em tempo integral

Se uma criança precisa dos cuidados e carinho dos pais, crianças especiais precisam disso tudo em dobro e há pais que não hesitam em mudar sua rotina e dedicar toda a sua vida aos filhos com alguma deficiência. Esse é o caso do ajudante de pedreiro Francisco das Chagas Borges, que há cinco anos dedica toda a sua vida ao pequeno Cauã.

Ele é o único filho de Francisco, que mora na zona rural de Teresina. A paralisia cerebral fez com que o menino tivesse a fala e parte dos movimentos das pernas comprometidos.

Após o susto ao saber do diagnóstico, Francisco mudou toda a sua rotina para que o garoto pudesse ter acesso ao tratamento e diminuir as dificuldades e limitações que a doença lhe trouxe.

A principal mudança veio no trabalho. Atuando como ajudante de pedreiro, Francisco hoje só aceita serviço que possa ser feito nos horários onde o filho não tem tratamento. ?Ele já está grande, pesado e é muito complicado para a mãe sair com ele sozinha.

Se as ruas tivessem melhor acessibilidade, Cauã poderia sair na cadeira de rodas, mas a realidade é outra, principalmente próximo à nossa casa?, diz Francisco, que carrega o menino nos braços sempre que é preciso sair de casa.

Em tratamento no Ceir há três anos, Cauã já movimenta melhor os braços e consegue ficar de pé com a ajuda de aparelhos na fisioterapia. ?Ele não tinha firmeza, não conseguia segurar nada.

A melhora dele é visível e meu sonho é vê-lo andando. Meu filho é a coisa mais especial que Deus me deu?, derrete-se o pai, ao falar de Cauã.

Fonte: Pollyana Carvalho