Criança também é vítima de problema urológico

Criança também é vítima de problema urológico

Muitos pais negligenciam sintomas de doenças urológicas em crianças, o que pode ser um risco

Muita gente não sabe, mas urologista também é médico de criança. Até porque não há idade exata para que problemas relacionados ao aparelho reprodutor e urinário possam aparecer. Alguns deles, inclusive, são mais comuns nos pequenos, e exigem atenção e cuidados específicos. É o que alerta o médico urologista Giuliano Aita.

Segundo o especialista, os pais precisam ficar atentos para que não corram o risco de neglicenciar disfunções ou doenças que podem se complicar. ? Algumas doenças urológicas infantis não tratadas podem resultar em sequelas tardias irreparáveis, como a perda de função do rim e a infertilidade, além dos problemas psicológicos associados". O fato é que boa parte dos pais ainda desconhece isso, o que leva a uma demora na procura por orientação médica. Portanto, o alerta precisa ser feito para que as pessoas não achem que essa especialidade só cuida de adultos e idosos?, comenta Aita.

Um dos exemplos mais comuns de problema urológico nos meninos, ainda de acordo com o médico, é fimose, conceituada como a incapacidade de expor a glande peniana.

"O descolamento do prepúcio ( pele que recobre a glande) deve ocorrer na primeira infância, do contrário, o tratamento é cirúrgico e visa facilitar a higiene do pênis e diminuir o risco de bálano-postites (infecções do prepúcio e da glande), e permitir relações sexuais mais confortáveis na vida adulta. Um alerta importante aos pais:

os exercícios ou massagens para arregaçar o prepúcio devem ser evitados, pois além de causar dor, podem provocar sangramentos e, como consequência, a formação de cicatrizes que reduzem o orifício por onde deveria passar a glande", diz Giuliano

"Um outro problema comum, agora nos adolescentes, é a varicocele, que consiste em varizes na bolsa escrotal.

Até 15% dos adolescentes podem apresentar este quadro, que se não tratado a tempo levará a uma situação de infertilidade masculina ou atrofia do testículo", reforça o especialista.

Vale mencionar ainda uma situação particular em que os testículos não estão localizados na bolsa escrotal, permanecendo na cavidade abdominal ou na virilha. "Se esta condição não for corrigida a tempo, a criança terá futuramente uma chance maior de esterilidade e de desenvolver tumores no testiculo", explica o especialista.

Além disso, o acompanhamento do desenvolvimento dos órgãos genitais e dos caracteres sexuais de pré-puberes e adolescentes muitas vezes é motivo de preocupação dos pais. Isto resulta, segundo Aita, de comparações seja entre irmãos, primos ou colegas de idades semelhantes e pode levar a consequências psicológicas que se mantêm até a fase adulta do indivíduo. Diante destas situações o urologista pode ser consultado para dar os devidos esclarecimentos e, na maioria das vezes, tranquilizar a família e o paciente.

Portanto, o ideal é que os pais estejam atentos e não subestimem os riscos que os filhos correm de desenvolver consequências mais graves. Por isso, o médico especialista deve ser sempre consultado quando houver qualquer suspeita de alteração do sistema genital ou urinário.

Fonte: Ass