Crianças avaliadas em campanha de Hanseníase são consultadas em THE

Será na Clínica de Dermatologia do Hospital Getúlio Vargas (HGV).

Um total de 133 jovens menores de 15 anos que foram avaliados na primeira etapa da Campanha de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma, desenvolvida pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), serão consultados amanhã (14), na Clínica de Dermatologia do Hospital Getúlio Vargas (HGV), a partir das 8h.

De acordo com o médico infectologista Kelsen Eulálio, coordenador do Programa de Hanseníase da FMS, essa consulta é voltada exclusivamente para os jovens que foram avaliados durante a campanha nas escolas e que apresentaram manchas suspeitas pelo corpo.

 “Durante a campanha 2.733 alunos foram examinados pelos profissionais da Estratégia Saúde da família. Após o exame com a equipe ESF, as crianças passaram por uma segunda triagem, e 213 delas, consideradas casos suspeitos de hanseníase, foram encaminhadas para a consulta com um dermatologista para confirmação. Um total de 80 crianças foi encaminhado para atendimento no Hospital Getúlio Vargas e Hospital Universitário, e amanhã estaremos examinando os outros 133 jovens na Clínica de Dermatologia do HGV”, explicou.

Desde agosto, a FMS tem visitado as escolas da capital em busca das crianças com sinais suspeitos de hanseníase, que são manchas esbranquiçadas ou avermelhadas; manchas dormentes (com diminuição da sensibilidade); dormência nos pés, caroços avermelhados ou castanhos. Concomitantemente, está sendo realizada a campanha de combate às verminoses, que também podem causar manchas pelo corpo, bem como anemia, dor abdominal e diarreia. Esses parasitas podem prejudicar o desenvolvimento e o rendimento escolar da criança e do jovem.

 A busca ativa é feita por meio do chamado método do espelho, que usa um formulário no qual os pais informam sobre eventuais sinais e sintomas sugestivos no corpo de seus filhos. Nos formulários, que inclui o desenho do corpo humano, os responsáveis marcaram onde as crianças possuem qualquer tipo de machas na pele, para serem avaliadas pelas equipes da atenção básica.

 “Nessa etapa, onde examinaremos os alunos que apresentaram manchas suspeitas, caso seja confirmado algum caso, faremos biópsia e já iniciaremos o tratamento de imediato”, informou Kelsen Eulálio.

A Campanha de Hanseníase, Geo-helmintíases e Tracoma promoveu uma busca ativa entre os escolares de cinco a 14 anos de idade. Foram visitadas 237 escolas em todo o município. Um total de 39.396 fichas foram distribuídas entre os estudantes.

Fonte: Assessoria