Crianças são operadas em mutirão de otorrinolaringologia do HGV

O objetivo é reduzir a fila de espera que atualmente chega a 300.

20 crianças passaram por procedimento cirúrgico no mutirão de otorrinolaringologia do Hospital Getúlio Vargas (HGV). Durante todo o sábado, uma equipe atendeu as crianças que aguardavam, há muito tempo, na fila por uma cirurgia de amígdalas e adenoide.

De acordo com a diretora geral do HGV, Clara Leal, o objetivo é reduzir a fila de espera que, atualmente, chega a 300 pacientes. “Esse atendimento faz parte de um planejamento do Hospital, que tem uma fila de espera grande em todas as especialidades. Priorizamos as crianças e a cirurgias que não possuem um custo elevado, pois somente o hospital está custeando estes procedimentos”, explica a diretora ao comentar que a pretensão do Hospital é realizar um multirão por mês.

“Estamos batalhando junto com o Ministério da Saúde para realizar também mutirão com essas especialidades que têm um custo maior”, informa Clara Leal.

O coordenador da Clínica de Otorrinolaringologia, Bernardo Cunha, explica que o mutirão é voltado para crianças entre 3 e 8 anos, que precisam de cirurgia para retirada das amígdalas e adenoide. Segundo Bernardo Cunha, esse problema afeta muitas crianças e causa infecções recorrentes, como a febre reumática. “As cirurgias são simples. Após 24 horas na enfermaria, se os pacientes evoluírem bem, são liberados”, destaca Cunha.

A equipe do mutirão é composta por dois otorrinolaringologistas, dois anestesistas, equipe de enfermagem e apoio. A Clínica de Otorrinolaringologia do HGV dispõe de seis leitos, além de prestar atendimento ambulatorial, onde são tratados pacientes com coriza, sinusites, otite, amigdalite/faringite agudas, rinites e doenças otoneurológicas.

Fonte: Aline Damasceno