CRO- Piauí fecha unidade de saúde irregular no interior do Piauí

O atendimento odontológico foi suspenso por irregularidades.

A equipe de fiscalização do ConselhoRegional de Odontologia do Piauí (CRO/PI) realizou mais uma inspeção nas unidades de saúde da cidade de José de Freitas, distante 48 km de Teresina. Dessa vez, a unidade do Bairro Nossa Senhora de Fátima teve o atendimento odontológico suspenso por irregularidades na estrutura, o que coloca em risco a saúde da população.

Paredes com mofos, divisórias improvisadas com tapumes, caixas elétricas expostas, infiltrações na estrutura foram as principais problemáticas encontradas pelos fiscais do CRO. “O que observamos é que não há uma estrutura mínima adequada para que o atendimento seja feito com a segurança necessária aos profissionais e aos pacientes”, relataram os fiscais do Conselho.

No mês de abril, a equipe de fiscalização do Conselho esteve no município de José de Freitas, verificando as condições do atendimento odontológico. No Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) da cidade uma sala de esterilização repleta de mofo e infiltrações foi identificada à época. E hoje, cerca de 50 dias depois, tanto o CEO como a unidade de saúde do bairro Suco de Uva ainda não tiveram as adequações solicitadas concluídas.

“Por isso, vamos intensificar as vistorias para que todas as adequações sejam implementadas e, dessa forma, assegurar o atendimento seguro aos pacientes. Se preciso for, podemos suspender o atendimento na rede toda”, informou o CRO.

Todos os pontos observados pelos ficais do CRO/PI dizem respeito à biossegurança nos consultórios, ponto chave que pode prevenir doenças graves nos pacientes e profissionais. “O consultório odontológico é um ambiente altamente contaminado seja por bactérias vindas da boca do paciente, pelas mãos dos cirurgiões dentistas e assistentes. É uma atividade que expõe os pacientes, a equipe, o próprio cirurgião dentista e, indiretamente, seus familiares, às mais diversas doenças infecciosas. E quando há falhas, todos os envolvidos estão à mercê de infecções cruzadas”, explicaram os fiscais.

As operações de fiscalizações do Conselho Regional de Odontologia do Piauí (CRO/PI) nos municípios do interior estão intensificadas. Os consultórios suspensos terão um prazo estipulado pelo Conselho para se adequar as regras de biossegurança e uma nova fiscalização será realizada pelo CRO/PI para que os mesmos sejam liberados.


Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações da Assessoria