Cuidadora de gatos pede ajuda para castrar animais

Há oito anos, Maria Ione, mulher de muita fé, recebeu uma visita inesperada, era uma família de gatos.

CONFIRA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTE SÁBADO (28) DO JORNAL MEIO NORTE

Por: Márcia Gabriele

Reza a lenda de que quando alguém se depara com um gato, sendo este de cor preta, traz azar e já a ciência alerta que animais peludos, como gatos, não fazem bem a quem tem problemas respiratórios. Porém, não foi bem assim que aconteceu com a vendedora Maria Ione da Silva, que há 35 anos, teve o pulmão direito praticamente inutilizado, por conta de sequelas de intoxicação por querosene, que desenvolveu uma patologia, chegando ao ponto de especialista a alertar sobre a possibilidade de transplante e ainda que ela poderia respirar apenas por aparelhos, já que os medicamentos não estava mais surtindo efeito.


Há oito anos, Maria Ione, mulher de muita fé, recebeu uma visita inesperada, era uma família de gatos, desamparada e faminta. Ela, que já vivenciava um grande drama de sua vida, via ao mesmo tempo, a situação que se encontrava aqueles animais, decidiu assim acolhê-los e amá-los.

Ao passo que os gatos se reproduziam, Maria Ione ficava mais apaixonada por aqueles indefesos animais. E sem ao menos se dar conta, passou a ter melhorias em sua respiração. Até que ao repetir a bateria de exames no pulmão, algo surpreende aconteceu, ela estava totalmente curada do problema que o afetava.

Contrariando as histórias lendárias e a própria Ciência, Maria Ione teve sua criação triplicada, pelo grande volume de filhotes que nascem e ainda por resgatar gatos abandonados nas rua da cidade de Miguel Alves, no Piauí.

Hoje, ela possui 70 gatos, deste total, 15 são filhotes, que vivem em sua casa, ocupando o quintal traseiro, frontal e lateral e acredita que a presença desses animais representa uma missão espiritual. “Foi uma benção que recebi de Deus. Devido a minha cura, considero que essa seja uma missão espiritual que tenho que cumprir. Cuidar e dar amor a esses animais”, confessa Maria Ione da Silva.

Mesmo com todo cuidado e dedicação que Maria Ione tem por seus animais, não tem conseguido arcar com todas as despesas necessárias para a sobrevivência dos felinos e pede ajuda da população em prol de sua criação.

“Apesar do carinho e da dedicação que tenho por estes gatos. Tenho precisado de ajuda financeira para mantê-los. A primeira é quanto a castração deles, que só aqui na cidade de Miguel Alves, cada cirurgia custa R$200, além disso tem medicamentos e alimentação diária, que me esforço ao máximo, mas toda ajuda é bem vinda”, destaca Maria Ione.

Para quem quer e pode contribuir com o ato de amor de Maria Ione aos seus 70 gatos, basta fazer a doação de qualquer quantia para os seguintes dados: Banco do Brasil - conta: 5752-5, agência:2298-5, Variação:51 para Poupança / Nome: Maria Ione Santos da Silva.

Fonte: Márcia Gabriele