Defesa Civil começa a liberar áreas de risco após enchentes em Santa Catarina

O rio Itajaí-Açu voltou ao leito depois de chegar a mais de 11 metros acima do n&iacut

A Defesa Civil começou a liberar, neste sábado (6), as áreas de risco em Santa Catarina. O número de mortos pelas enchentes e deslizamentos de terra subiu para 122. Duas semanas depois, 29 pessoas continuam desaparecidas.

O rio Itajaí-Açu voltou ao leito depois de chegar a mais de 11 metros acima do nível normal em Blumenau. A cidade, que há duas semanas ficou sem água e luz, já restabeleceu os serviços.

O número de desabrigados caiu de 23 mil pessoas para pouco mais de três mil. São moradores que não têm como voltar para casas que estão em áreas onde há risco de novos deslizamentos.

Com o helicóptero da Polícia Militar catarinense, a reportagem sobrevoou o Vale do Baú, no município de Ilhota (SC), onde 37 pessoas morreram soterradas.

Na localidade de Baú Seco, encostas inteiras desabaram sobre as casas no fundo do vale. O local, onde 20 pessoas ainda estão desaparecidas, é considerado área de alto risco. Nem o resgate dos mortos ainda é permitido.

Equipes de buscas encontraram mais dois corpos em Arraial do Ouro, na manhã deste sábado. Geólogos permitiram o retorno controlado dos moradores em parte da área atingida, que inclui o Vale do Baú.

A autorização tem uma série de restrições. Vale apenas para a limpeza das empresas, que pode ser feita das 7h às 19h. Se o tempo fechar, o sino da igreja toca e todos têm que sair do morro.

O madeireiro Gentil Reichel, que não teve coragem de demitir seus funcionários, agora tem muito trabalho pela frente. Ele está aliviado.

"Vou manter os empregos. Não vou descontar nada, mas através disso vamos fazer algumas horas para tentar recuperar e para ninguém ficar no prejuízo", disse.

Mantimentos

Neste sábado (6), uma fragata da Marinha chegou no porto com mais 46 toneladas de donativos enviadas por gaúchos, cariocas e paulistas.

O aposentado Osmar Sagar, que perdeu quase tudo, já conseguiu limpar a casa. Ele agradece a solidariedade dos brasileiros.

"Eu só tenho a agradecer a todo povo brasileiro, não medindo classe. Todos, crianças, idosos, enfim, todos nos ajudaram e estão nos ajudando".

Fonte: g1, www.g1.com.br