Defesa Civil e CRAS monitoram famílias em área de risco após chuva

Todas as Superintendências de Desenvolvimento Urbano estão em alerta, verificando os efeitos da chuva e tomando as providências necessárias.

Atualmente, 51 famílias são atendidas pelo programa Cidade Solidária em Teresina. O caso mais recente é o da dona de casa Maria das Dores Pereira Silva, que abordou o prefeito Firmino Filho durante visita à avenida Mirtes Melão, na zona leste da capital, na manhã desta quinta-feira (09). 

Após a forte chuva que caiu durante toda a madrugada, atingindo mais de 100mm, o prefeito visitou os principais pontos de alagamento: a galeria na avenida Cinegrafista Marques, a avenida Joaquim Nelson, o condomínio Mirante do Lago, o residencial Dom Avelar e a avenida Mirtes Melão. Todas as Superintendências de Desenvolvimento Urbano estão em alerta, verificando os efeitos da chuva e tomando as providências necessárias.
 
Segundo o major João Amorim Neto, chefe do Gabinete Militar e Defesa Civil do município, as equipes do órgão junto com técnicos dos CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) realizam atendimentos na Vila da Paz e Vila Jerusalém, na zona sul, e no bairro Satélite, zona leste, duranta esta manhã. 
 
Das 51 famílias cadastradas no programa Cidade Solidária, 23 foram incluídas este ano. De acordo com a Secretaria Municipal do Trabalho, Cidadania e Assistência Social, oito famílias passaram a integrar o programa nos últimos dias em decorrência das chuvas da semana passada.
 
O programa Cidade Solidária possui duas linhas de atuação: Família Solidária e Residência Solidária. Na Família Solidária, a pessoa acolhida indica um familiar ou amigo que pode lhe receber enquanto a situação de risco dura e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 180. Já na Residência Solidária, a pessoa identifica um imóvel no valor de até R$ 180 para alugar e a Prefeitura banca a despesa por seis meses. Nas duas situações, a família recebe cesta básica, kit limpeza e kit acolhimento.
 
Para a família acolhida é disponibilizada ainda uma cesta básica por mês, durante os seis meses, e ainda kit limpeza e kit acolhimento,caso seja solicitado. No ano passado, segundo a Semtcas, 139 famílias teresinenses, que estavam em moradias com situação de risco, foram atendidas pela Prefeitura.
Fonte: Ascom