Desaparecimento de adolescentes gera mobilização na Praia do Sonho

Garotas afirmaram que foram sequestradas por dupla encapuzada.

A polícia em Itanhaém, no litoral de São Paulo, está investigando o desaparecimento de três adolescentes. Elas sumiram no início da noite de segunda-feira (1) e só foram encontradas na madrugada desta terça-feira (2). Elas disseram para a polícia que foram sequestradas.

Quatro amigas saíram da escola, que fica no bairro Ivoty, às 18h20, e pararam em frente à casa de uma das jovens para conversar. Uma hora depois elas resolveram acompanhar uma das meninas até outra casa. Segundo a polícia, uma das menores disse que o grupo foi abordado durante o caminho.

De acordo com uma das garotas, as quatro amigas caminhavam pela rua quando dois homens encapuzados se aproximaram em um carro preto e sequestraram as meninas. Uma delas acabou reagindo e conseguiu fugir. A jovem, de 12 anos, conta que durante a briga sua blusa acabou rasgando. "Na hora que ele foi me puxar, eu peguei e fiquei batendo na mão dele. Aí ele tirou a mão, eu corri e me escondi em outra rua. Depois fui para minha casa. Se minha blusa não tivesse rasgado, eu estaria toda machucada. Eles estavam todos de preto, não tinha outra cor, só dava para ver o olho", conta a menor.

Não demorou muito para a notícia se espalhar pelo bairro. Mães, parentes e amigos ficaram desesperados. Pelas redes sociais, muita gente se mobilizou na tentativa de encontrar as jovens. No bairro, os vizinhos uniram forças para procurá-las. Eles rodaram a cidade atrás das meninas e tentaram checar todas as informações que recebiam.

Por volta das 3h, a Polícia Militar recebeu uma ligação anônima dizendo que as meninas estavam na Praia do Sonho. A informação era verdadeira. Não demorou muito para os pais chegarem e reencontrarem as filhas.

O boletim de ocorrência de sequestro e cárcere privado foi registrado na polícia. As meninas foram ouvidas na delegacia, mas ainda devem fazer um depoimento oficial. A polícia pediu exame de corpo de delito para as três. As investigações continuam e quem tiver alguma informação sobre o caso pode ligar para o 181 ou telefonar direto na Delegacia de investigações gerais de Itanhaém, no (13) 3422-3388.

Fonte: G1