Desrespeito às faixas de pedestres e ciclofaixas é recorrente em Teresina

As faixas de pedestres e ciclofaixas existem na Rua Rui Barbosa, uma das mais movimentadas da zona Norte

O trânsito da zona Norte, sobretudo na Rua Rui Barbosa, ligando os Bairros Parque Alvorada, São Joaquim e Matadouro, não tem sido favorável para ciclistas e pedestres, devido ao desrespeito às ciclofaixas e faixas de pedestres.

No trecho situado em frente a uma escola municipal, no Bairro São Joaquim, existe uma faixa de pedestres com elevação, que não costuma ser respeitada por condutores, além de placas indicativas de que existe fiscalização eletrônica, que não foi localizada na área.

O comerciante Antônio Moreira afirma que os atropelamentos no local são comuns, tendo ele presenciado diversas situações perigosas aos pedestres.

?De 10 carros que passam aqui enquanto há pedestres querendo passar, diria que cinco param, mas o que ocorre mais é a parada dos condutores de automóvel enquanto os motociclistas passam direto. Nos horários de pico é muito mais difícil um pedestre conseguir passar?, denuncia.

Ele afirma que tartarugas já foram colocadas na pista, algumas placas, mas nada amenizou a falta de educação e de atenção dos condutores. O comerciante Francisco Farias é uma das pessoas que já quase foram vítimas de um atropelamento e fez pedidos e reclamações à Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito), mas não chegou a ser atendido.

?Essa faixa em frente à escola parece não servir para coisa nenhuma, eu mesmo quase fui atropelado e não há respeito nem por idosos. Para este local é necessário um semáforo, que inclusive já foi pedido por mim?, disse o comerciante Francisco Farias.

No momento em que a equipe de reportagem esteve no local, foram feitos diversos flagrantes de motocicletas que não esperam a travessia dos pedestres, que são, em geral, crianças e estudantes da escola municipal.

A atual presidente de bairro, Cesarina Andrade, disse que os problemas na Rua Rui Barbosa são antigos, e que os moradores já organizaram até caminhadas e protestos pela melhoria na sinalização e mais educação no trânsito.

?Além dos atropelamentos, são comuns as colisões por excesso de velocidade, pouca sinalização, falta de atenção, que piora pelo fato de a rua ser de mão dupla e estreita.

Aos domingos, quando acontece a feira no mercado público, a situação é ainda mais grave?. A líder comunitária afirmou que espera ações breves da Prefeitura em relação ao trânsito e a qualidade da pavimentação, além disso a procura por soluções no trânsito será uma das prioridades neste ano.

Desrespeito à ciclofaixa põe ciclistas em risco

Com um longo percurso da nova ciclofaixa, a Rua Rui Barbosa também protagoniza muitas cenas de infrações relacionadas à faixa de ciclistas. É comum os condutores de carros e motocicletas trafegarem sobre um trecho da faixa para ganharem agilidade no trânsito, ou estacionarem sobre uma delas, consideradas infrações gravíssima e grave com remoção do veículo, respectivamente.

Na Avenida Jerumenha, que liga os Bairros Buenos Aires ao Mocambinho, a ciclofaixa também é completamente ignorada pelos condutores de automóveis, que ocupam quase toda a extensão estacionando no local.

Em uma das fotos é possível ver ciclistas tentando desviar dos veículos parados na faixa. De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito, onde houver ciclofaixa, nenhum dos veículos pode transpor o espaço do outro.

Sobre as sinalização eletrônica reivindicada pela população, o diretor de trânsito da Strans, Augusto Basílio, informou que no momento não há equipamentos disponíveis, mas irá providenciar o reavivamento da pintura das faixas de pedestre nos locais indicados, além de campanhas educativas que deverão incluir o incentivo à correta utilização das ciclofaixas.

Fonte: Samira Ramalho