Servidores da Eletrobras Piauí podem parar por tempo indeterminado

Cerca de 1.200 trabalhadores pararam suas atividades durante os três dias da paralisação de advertência

Depois de finalizar uma paralisação de advertência que durou 72 horas, os servidores da Eletrobras

Distribuição Piauí podem parar por tempo indeterminado, caso não aconteçam avanços nas negociações com a empresa. Um novo encontro entre representantes da Eletrobras e dos trabalhadores deve acontecer na próxima quarta (11). ?Essa paralisação já havia sido acordada no Coletivo Nacional dos Eletricitários (CNE), em 28 de junho.

Em assembleia, os funcionários de todo o grupo Eletrobras decidiram que a paralisação vai ser por tempo indeterminado caso o órgão não sinalize positivamente no sentido de atender nossas reivindicações?, disse Teonia Almeida do Vale, integrante da Diretoria da Mulher Urbanitária.

Os trabalhadores pedem ganho real de mais de 10%, melhorias no plano de carreiras dos servidores, e extensão dos planos de saúde aos aposentados. Na manhã de ontem, mais uma vez os funcionários reuniram-se na frente da sede da Eletrobras-PI, na Avenida Maranhão, e fizeram pronunciamentos.

Cerca de 1.200 trabalhadores pararam suas atividades durante os três dias da paralisação de advertência. ?No entanto, mantivemos os 30% determinados por lei. Além disso, as pessoas que

precisaram de serviços de urgência foram prontamente atendidas. Ou seja, a população não foi prejudicada?, disse Tonia. Apesar disso, a negociação de débitos, por exemplo, foi paralisada. Não foi possível contatar a direção do órgão. Em nota ao público divulgada no primeiro dia da paralisação, a

Eletrobras Distribuição Piauí afirmou que entende que ?o movimento de greve é um direito dos trabalhadores e espera que os mesmos exerçam seus direitos e, ao mesmo tempo, cumpram seus

deveres mantendo os serviços essenciais, conforme prevê a lei?.

Fonte: Dowglas Lima, Jornal Meio Norte