Dez detentos se casam na Penitenciária Irmão Guido neste sábado

O casamento coletivo é uma manifestação dos próprios detentos

O sistema prisional piauiense vai ter a realização de um casamento de internos no regime fechado. Dez casais celebrarão a união religiosa neste sábado (23), às 9h da manhã, na Penitenciária Irmão Guido. A cerimônia será conduzida pelo pastor Antonio dos Santos, da Igreja Evangélica Pentecostal do Brasil para Cristo.

O casamento coletivo é uma manifestação dos próprios detentos que fazem parte das atividades religiosas desenvolvidas na Penitenciária Irmão Guido. A assistência religiosa está prevista na Lei de Execução Penal. Ao todo, 15 instituições religiosas executam trabalho de catequese nos presídios do Piauí.

Para a Coordenação de Assuntos Religiosos da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), a assistência religiosa, na maior parte das vezes buscada pelo próprio detento, ajuda no processo de ressocialização, dando, ainda, além do apoio espiritual, amparo psicológico aos internos.

"Os resultados dessas parcerias já aparecem com detentos que têm um comportamento melhor dentro dos presídios, empenhados em ajudar e conversar com os colegas para que sigam também o mesmo caminho", explica Layla Catarina Leônidas, coordenadora de Assuntos Religiosos.

As visitas das instituições religiosas aos estabelecimentos prisionais são semanalmente. Entre as principais ações com os internos, estão batizados, missas, confissões, cultos e visitas de imagens.

Fonte: Sejus