Diretor da Vale está entre vítimas identificadas do voo AF 447

Segundo Carla, o irmão estava indo para Dubai, nos Emirados Árabes, participar de uma premiação

Entre os últimos oito corpos de vítimas do acidente com o voo AF 447, da Air France, identificados está o de Marco Antônio Camargo Mendonça, 44 anos, diretor de Manganês e Ligas da companhia Vale. A família foi informada da identificação pela Polícia Federal (PF) ainda na sexta-feira, de acordo com a irmã de Marco Antônio, Carla Mendonça.

Segundo Carla, o irmão estava indo para Dubai, nos Emirados Árabes, participar de uma premiação. O executivo, que morava em Conselheiro Lafaiete (MG), era formado em Engenharia de Minas pela Universidade Federal de Ouro Preto (MG) e fez MBA Executivo na Fundação Dom Cabral. Ele era diretor da Vale desde 2006.

Carla afirmou que o corpo do irmão deve ser enterrado no início da próxima semana. A definição da data vai depender do dia da liberação do corpo pela Polícia Federal.

Mendonça era casado com a jornalista e profissional de marketing Renata Mondelo Mendonça, funcionária da Vale, no Rio de Janeiro, e mãe do filho do casal, Thiago, 11 meses. Ele também era pai de João Marcos, 13 anos, fruto de seu primeiro casamento e que mora em Conselheiro Lafaiete (MG).

Neste sábado, a Polícia Federal confirmou a identificação de mais oito corpos. São de três brasileiros, sendo dois homens e uma mulher, e cinco estrangeiros do sexo feminino. Até o momento, a Força Tarefa identificou 43 vítimas dos 51 corpos encontrados. A PF não informou os nomes das vítimas.

O acidente

O Airbus A330 saiu do Rio de Janeiro no domingo (31), às 19h (horário de Brasília), e deveria chegar ao aeroporto Roissy - Charles de Gaulle de Paris no dia 1º às 11h10 locais (6h10 de Brasília).

De acordo com nota divulgada pela FAB, às 22h33 (horário de Brasília) o voo fez o último contato via rádio com o Centro de Controle de Área Atlântico (Cindacta III). O comandante informou que, às 23h20, ingressaria no espaço aéreo de Dakar, no Senegal.

Às 22h48 (horário de Brasília) a aeronave saiu da cobertura radar do Cindacta, segundo a FAB. Antes disso, no entanto, a aeronave voava normalmente a 35 mil pés (11 km) de altitude.

A Air France informou que o Airbus entrou em uma zona de tempestade às 2h GMT (23h de Brasília) e enviou uma mensagem automática de falha no circuito elétrico às 2h14 GMT (23h14 de Brasília). A equipe de resgate da FAB foi acionada às 2h30 (horário de Brasília).

No total, foram achados 51 corpos e mais de 600 partes do Airbus A330 da companhia francesa.

Fonte: Terra, www.terra.com.br