Divulgado resultado final de seleção de projetos para o PET-Saúde

A segunda é reservada aos que atuam na Gestão Regional e Central.

Foi divulgado no Diário Oficial da União a homologação do resultado da seleção do Programa de Educacao pelo Trabalho para a Saude - PET-Saúde/GraduaSUS 2016/2017. O programa é voltado para profissionais de saúde interessados em atuar como preceptores de alunos de cursos da área de saúde da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

O projeto selecionado foi desenvolvido pela Gerência de Planejamento da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e envolve profissionais de seis cursos: enfermagem, farmácia, medicina, nutrição e serviço social. Ele será desenvolvido em duas modalidades: a primeira, voltada aos que atuam na assistência, para desenvolver as atividades nas Unidades Básicas de Saúde do Vamos Ver o Sol, Nova Brasília, Santa Bárbara e Alto da Ressurreição, além dos CAPS II, Norte, Leste, Sudeste e AD. A segunda é reservada aos que atuam na Gestão Regional e Central.

O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-SAÚDE GRADUASUS) foi lançado pelo Ministério da Saúde, por intermédio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), como fomento e organização das ações de integração ensino de graduação-serviço-comunidade nos território de saúde, para fortalecer o movimento de mudança da formação de graduação em saúde, aproximando-a do Sistema Único de Saúde (SUS).

 “As ações desenvolvidas pelos projetos deverão envolver atores do SUS e da comunidade acadêmica, como professores, estudantes, profissionais de saúde e gestores, com foco na interdisciplinaridade, na integração ensino-serviço, na humanização do cuidado, na integralidade da assistência, no desenvolvimento das atividades que considerem a diversificação de cenários de práticas e redes colaborativas na formação para o SUS. Além de reorientar a formação profissional nos cursos de graduação da UFPI, o PET tem o objetivo da qualificação em serviço dos professores, alunos e profissionais da saúde, daí sua importância”, explica Smithany Barros, diretora de Ações Assistenciais da FMS.

Fonte: Com informações da Assessoria