"É um pitstop de bebês", comemora pai de quadrigêmeos

"É um pitstop de bebês", comemora pai de quadrigêmeos

Eles tiveram que mudar a rotina, o lugar onde moram e trocaram até de carro após que descobrirem que iriam ter quatro bebês.

Eles tiveram que mudar a rotina, o lugar onde moram e trocaram até de carro após que descobrirem que iriam ter quatro bebês. Renato Augusto Silvério Biamphi de 34 anos, é pai dos quadrigêmeos Miguel, Mateus, Marcos e Mariana de um ano e cinco meses. Renato é casado há cinco anos com Aline Biamphi, analista financeira de 36 anos. Os dois moram em um condomínio residencial no Bairro Ribeirão da Ponte, em Cuiabá e depois de dois anos de relacionamento, decidiram ter um filho.

Porém, durante o processo, descobriram que Renato possui um problema genético e que não poderia ser pai. Mesmo assim, eles não desistiram do sonho e procuraram um médico. ?Logo de cara ele [médico] indicou a adoção. Mas tentamos fazer a fertilização in vitro. No primeiro ultrassom apareceram três fetos. Aí foi uma mistura de felicidade e desespero. Depois de uma semana, escutamos quatro corações batendo. Foi uma gravidez de risco do começo ao fim?, disse a mãe Aline.

O "super-pai" disse que sempre sonhou em ter filhos e uma família grande, mas estava preparado para ter apenas um filho. ?O meu maior medo era com ela [Aline]. Eu me perguntava "será que ela vai aguentar essa gestação?" Porque o porte físico dela era pequeno para quatro bebês. Mas nada é por acaso, nós acreditamos e hoje não vivemos sem os quatro?, declarou Renato.

Quando Aline completou a 20ª semana de gestação, os dois tiraram licença dos trabalhos. Ela por orientação médica, para que ficasse de repouso absoluto e ele para cuidar da esposa. ?Acabamos ficando grávidos juntos. Recebemos ajuda da família, dos amigos, tanto para cuidar dos bebês quanto em doações e na questão financeira?, disse Renato.

Dedicação total

O pai acorda cedo, prepara quatro mamadeiras e ajuda a esposa a arrumar os filhos. Segundo ele, a família gasta por dia cerca de uma lata de leite em pó ou quatro caixas de leite, além de fraldas que podem ser trocadas até cinco vezes por dia com cada bebê.

?A produção aqui é em "série"?, brinca Renato. Enquanto o pai dá banho em uma criança, a mãe veste a roupa de outro, enquanto prepara o outro filho para o banho.?É um pitstop de bebês. Pai não é só para pagar contas. Cada dia é uma descoberta nova, uma sensação. Não dá pra descrever esse amor?, disse Renato.

?É uma dedicação total. Esquecemos de nós para servir a eles. Se passa um dia sem essa correria acabamos estranhando. Quando fico com um que está doente eu acho sem graça, acostumei com os quatro juntos?, conta a mãe.

O casal programou a vida conforme a rotina dos filhos. Os bebês acordam, comem e dormem no mesmo horário. Atualmente o quarteto passa o dia em uma escolinha na capital mato-grossense e a noite fica com os pais de primeira viagem.

Quando se preparam para sair com os filhos, o casal relata que precisa de duas horas para preparar os quatro bebês. ?As vezes fazemos as coisas aqui em casa mesmo, chamamos os amigos. Não é todo lugar que é preparado para receber quadrigêmeos. E quando vamos, os amigos e familiares precisam ajudar a ficar de olho em cada um, senão não conseguimos relaxar?, conta o servidor público.

No Dia dos Pais, a comemoração será na residência do próprio casal. ?Toda nossa família vai se reunir aqui em casa. É mais cômodo pra nós, as crianças ficam mais a vontade e é mais fácil de controlá-los?, finaliza o pai.

Fonte: G1