50 mais vendidos: Velhinhos ainda em boa forma no mercado

50 mais vendidos: Velhinhos ainda em boa forma no mercado

Existem carros bem mais modernos, ainda em linha, que têm desempenho inferior

Boa parte deles deixou de ser fabricada há mais de uma década, alguns beiram 20 anos fora de produção. São veículos que saíram de linha sem deixar sucessores em novas gerações, seus nomes não tiveram herdeiros, mas nem por isso saíram do mercado. Muito pelo contrário. Todos os meses, no Brasil, são negociados de 60 mil a 100 mil modelos de automóveis e comerciais leves fora de linha, em volume que passa de 1 milhão por ano, ou algo como 10% do giro anual de usados vendidos no País. Não é pouca coisa.

Na lista dos 50 modelos usados mais vendidos do País, existem 10 automóveis e três comerciais leves que registram mais de 1.000 transferências por mês, sendo que quatro deles ficam no patamar acima de 5.000 negócios/mês e dois superam os 10 mil. Existem carros bem mais modernos, ainda em linha, que têm desempenho inferior a esses.

Pelo volume negociado, não se tratam de modelos comprados só por colecionadores de carros antigos. Essa é a menor parcela dos negócios. Para a grande maioria dos compradores, esses serão veículos de uso comum, no dia a dia, ou mesmo como segundo carro da casa ou até para utilização comercial.

Segundo as revendas de veículos, os modelos fora de linha já perderam valor no passado, quando deixaram de ser fabricados, mas depois disso o preço se estabiliza e, como não há comparação com o zero-quilômetro, pode até subir ao longo dos anos. Existe grande elasticidade de valores em um mesmo ano/modelo, dependendo do estado de conservação, quilometragem rodada e localidade do ponto de venda. Alguns desses carros podem ser baratos, mas nem sempre são, e encontram compradores certos porque marcaram época ao apresentar características de robustez, luxo, conforto ou esportividade.

Ícones

O maior ícone desse grupo é o popular Volkswagen Fusca, que foi fabricado no País durante 27 anos (1959-1986) e voltou à linha de montagem por outros três anos (1993-1996) após um pedido do então presidente da República, Itamar Franco. Portanto, existem no mercado Fusca de 15 a 52 anos de idade, que já foram comprados com até cinco tipos de moedas diferentes que o Brasil já teve, do cruzeiro ao real.

Pois o Fusca ainda é um dos usados mais procurados no Brasil, com 10 mil a até 16 mil unidades negociadas a cada mês. Em janeiro passado foi o décimo modelo de segunda-mão mais vendido, com 11.920 transferências. Um ano atrás, foi o oitavo mais comprado. Sem a referência do veículo novo, o preço varia bastante, dependendo do estado de conservação, quilometragem ou interesse histórico, digamos assim. Por exemplo, é possível comprar um ano 1982 por R$ 4.500, e outro 1978, quatro anos mais velho mas com apenas 3.000 km rodados, por R$ 9.500. O Fusca ainda é um veículo usado para o simples ir e vir, longe de ser apenas peça de museu ? embora alguns deles já o sejam, por tudo que o carro significou historicamente para o País e o mundo.

Existem alguns outros velhinhos bons de mercado. Depois do Fusca, o primeiro da lista é o Ford Escort (1983-2003), o 14º usado mais vendido do País em janeiro, com 10.213 unidades negociadas, mas que por vezes ao longo do ano passado ficou entre os dez mais procurados. Nascido em uma época que o Brasil não importava carros e não havia modelos modernos, os primeiros donos de Escort pagaram muitos milhões de cruzeiros para ter aquele símbolo de status. Hoje um Escort dos anos 90 pode ser comprado em torno de R$ 7.000, mas os preços também são bastante elásticos.

Com vendas acima das 5.000 unidades/mês, ainda são destaque, pela ordem de colocação no ranking, o Chevrolet Monza (1982-1996), Volkswagen Santana (1984-2006), Chevrolet Chevette (1973-1993) e Chevrolet Kadett (1989-1999).

Outro que chama a atenção é o Ford Del Rey (1981-1991), que não é mais fabricado há 20 anos e ainda vende de 2.000 a 3.000 unidades/mês, com preços para lá de variáveis: é possível comprar um modelo 1985 por R$ 3.900 com 160 mil km e há quem peça R$ 19.900 por um do mesmo ano de fabricação, mas com apenas 23.800 km rodados. Os velhinhos têm lá sua força no mercado.

Os 10 modelos fora de linha mais negociados em janeiro/2011:

1º Volkswagen Fusca (1959-1986 e 1993-1996) ? 11.920

2º Ford Escort (1983-2003) ? 10.213

3º Chevrolet Monza (1982-1996) ? 8.249

4º Volkswagen Santana (1984-2006) ? 9.054

5º Chevrolet Chevette (1973-1993) ? 6.020

6º Chevrolet Kadett (1989-1999) ? 5.628

7º Fiat Stilo (2002-2010) ? 2.886

8º Ford Pampa (1982-1997) ? 2.457

9º Ford Del Rey (1981-1991) ? 2.228

10º Fiat Tempra (1992-1999) ? 1.988

Fonte: MSN, www.msn.com.br