Alimentos elevam preços da cesta básica na cidade

Alimentos elevam preços da cesta básica na cidade

Seis das oito classes de despesas do índice apresentaram acréscimo na semana, com destaque para os preços dos alimentos.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou 0,28% na terceira semana de julho, 0,06 ponto percentual (p.p.) acima da taxa registrada na última pesquisa.

O levantamento é da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e foi divulgado na segunda-feira, dia 23. Seis das oito classes de despesas do índice apresentaram acréscimo na semana, com destaque para os preços dos alimentos, que avançaram de 0,96% para 1,16% no período.

Ffatores climáticos favoreceram o aumento de preços dos alimentos, como do tomate (19,48%), da cebola (16,22%), batata inglesa (6,70%), de hortaliças (3,29%), do óleo de soja (3,20%) e arroz (2,02%).

Em Teresina, apesar dessa tendência de alta, os preços para os alimentos comercializados nas quatro grandes redes de supermercados tem se mantido estáveis. O consumidor é, de fato, o maior beneficiado, contudo, alguns itens como o leite em pó registraram uma leve alta.

A pesquisa semanal de preços realizada pela reportagem do Jornal Meio Norte revelou que, nesta semana, o Extra ocupou a primeira colocação como estabelecimento mais vantajoso (R$ 282,83).

Em seguida, ocupando a segunda colocação, está o Hiper Bompreço (R$ 290,16). Em último lugar ficou o Comercial Carvalho que registrou um total de R$ 296,02 para os itens pesquisados. A diferença entre o supermercado mais caro e o mais barato foi de R$ 13,19.

ATACADOS: Mais uma vez o Atacadão Carrefour fica em primeiro lugar na pesquisa dos atacadistas, com a soma geral de R$ 70,86. O Maxxi voltou a ficar em segundo lugar, somando R$ 72,84.

A terceira posição ficou com o Carvalho Mercadão (R$ 76,66) e a última posição ficou com o Makro (R$ 78,43). Ou seja, foi mantida a mesma ordem da semana passada.

Diante da falta do produto fécula de mandioca (que foi percebida desde a semana passada), houve uma substituição do mesmo pelo produto milho para pipoca, na embalagem de 500 gramas.

Mudanças, aliás, são uma constante na pesquisa Meio Norte. Elas têm o intuito de deixar a coleta de preços mais dinâmica, informando melhor ao consumidor. Também foi adicionado o produto ?limpeza geral?, na embalagem de 01 litro.

Os atacadistas continuam pecando em alguns pontos, tais como a organização dos produtos. Vários itens encontravam-se expostos sem informação de preço, exigindo do consumidor, em diversas ocasiões, o trabalho de procurar um funcionário ou levar o item até um terminal de leitura de código de barras.

Veja a Tabela


TABELA 1





Fonte: Marcilany Rodrigues e Dowglas Lima