Aumento de 12% na energia vale a partir deste mês no Piauí

Para as indústrias (alta tensão) o reajuste será de 10,08%.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) aprovou na reunião pública desta terça-feira (23/08) o reajuste tarifário da Companhia Energética do Piauí (CEPISA). As novas tarifas entrarão em vigor no dia 28/08 para 974.284 unidades consumidoras do estado do Piauí.

O efeito médio a ser percebido pelos consumidores cativos da CEPISA será de 12,23%. Para as indústrias (alta tensão) o reajuste será de 10,08%.

Ao calcular os índices de reajuste, a Agência considera a variação de custos que a empresa teve no decorrer do período de referência. A fórmula de cálculo inclui custos típicos da atividade de distribuição, sobre os quais incide o IGP-M e o Fator X*, e outros custos que não acompanham necessariamente o índice inflacionário, como energia comprada de geradoras, encargos de transmissão e encargos setoriais. Os índices aprovados são o máximo que as empresas podem praticar.

O pleito da empresa está disponível na página da Agência. Mais informações sobre os processos de reajustes tarifários podem ser consultadas no endereço eletrônico da ANEEL (www.aneel.gov.br), perfil espaço do consumidor, na cartilha "perguntas e respostas sobre tarifas de distribuidoras de energia elétrica". (PG/GL)

Aumento de 12% de energia vale a partir deste mês

A Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou hoje aumento de 12,23% na tarifa para os consumidores residenciais do Estado e de 10,08% para os industriais. Os valores são os maiores concedidos entre as cinco empresas de distribuição de energia que tiveram reajuste hoje, e passam a valer a partir do dia 28 de agosto.

A Agência surpreendeu ao conceder aumento maior que o solicitado pela Eletrobrás Piauí, que foram de 7,85% para o industrial e 10,65% para o residencial. Normalmente, as companhias fazem uma solicitação maior para receber da Aneel um reajuste bem inferior. Desta vez ocorreu o contrário.

Após a Eletrobrás Piauí, o reajuste mais alto foi concedido à empresa da Paraíba, que terá aumento de 8,6% no residencial, mais de 4% abaixo do reajuste do Piauí. O aumento local chega a ser seis vezes maior que o concedido para a Ceal, de Alagoas. Os consumidores residenciais daquele Estado terão aumento de 1,93% na tarifa residencial e uma redução na tarifa industrial de -0,43%.

Para completar, o aumento da energia elétrica no Piauí ocorre justamente quando aumento o consumo no Estado, com a chegada dos meses mais quentes do ano. Além de passar mais tempo com o ar-condicionado e ventiladores ligados, equipamentos como geladeiras e freezers necessitam de mais energia para manter a temperatura programada.

Fonte: Mateus Noronha, Jornal Meio Norte