Após reajuste, preço da gasolina chega a R$ 4,31 nos postos de Teresina

Após reajuste, preço da gasolina chega a R$ 4,31 nos postos de Teresina

O mês de fevereiro iniciou com reajuste de preços dos combustíveis e pegou muitos consumidores de surpresa. Litro da gasolina passa a custar mais de R$ 3

A população já tem sentido no bolso, as consequências da elevação dos juros básicos da economia, de 11,75% para 12,25% ao ano, proposto pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Só em janeiro, foram registrados aumentos que vão desde o crédito pessoal, a conta de luz e até as tarifas de ônibus.

Mas por incrível que pareça esses reajustes não pararam por aí, na manhã de segunda-feira, 2, quem foi abastecer o seu veículo, notou, nitidamente, o aumento de preços dos combustíveis, após o reajuste.

A equipe do Jornal Meio Norte fez uma pesquisa de preços da gasolina, tanto da comum, quanto da aditivada e constatou uma grande disparidade entre os estabelecimentos. O que mais chamou atenção foi a diferença de preços da gasolina aditivada, que chegou a R$ 1,50 de um posto a outro.

Mais de cinco postos de combustíveis foram avistados e foi possível identificar nos painéis variados preços dos tipos de gasolina. Quanto à gasolina comum, os preços variavam entre R$ 2,77 e R$ 3,25, com a diferença de R$ 0,48 centavos. Já a gasolina aditivada, a disparidade foi bem maior, atingindo R$ 1,50, na variação de R$ 2,81 a R$ 4,31, sendo esta última do tipo premium, que se diferencia da aditivada devido ao elevado índice antidetonante que ajuda na conservação e limpeza do motor.

Segundo Leila Sousa, professora universitária, apesar de saber que haveria reajuste no preço da gasolina, não deixou de ficar assustada e revoltada com o aumento. “Eu já sabia que ia aumentar. Mas quando fui abastecer me assustei. Semana passada abasteci por R$ 2,89, e hoje já está R$ 3,18. E o pior, todos os postos. Conversando com algumas pessoas, o susto delas foi ainda maior. Pois não sabiam do aumento, que de um dia para o outro, se depararam com essa diferença gigante de preço”, destacou Leila Sousa.
O mesmo sentimento de revolta é compartilhado pela professora de Português, Inara Fernanda, que demonstra indignação com o aumento de preço dos combustíveis.

“Antes desse reajuste pagava R$ 2,76, agora está R$ 3,10. Absurdo! Em um país que se vangloria em ser ‘autossuficiente’ em combustível como o Brasil, isso é um ‘assalto’. Não basta a insegurança das ruas e o absurdo no caos dos hospitais públicos? Indignação é a palavra. Porque parece que não podemos fazer algo para mudar”, completou.

Os preços poderão apresentar uma alta mais significativa ainda, nos próximos dias, isso devido ao aumento no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços), que é de competência dos Estados e do Distrito Federal e está previsto para próximo dia 15.

Outro fator que deve interferir no preço do combustível é que a partir de 16 de fevereiro, a mistura de etanol na gasolina deve subir de 25% para 27%. A proposta foi acordada entre setor produtivo e o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, nessa segunda-feira (2).

Com a retomada da cobrança da Cide (imposto regulador sobre a gasolina) e a elevação do PIS/Cofins sobre a gasolina, que vão acrescentar R$ 0,22 ao preço do litro do combustível, uma elevação do álcool anidro na mistura deve aliviar essa alta de preço. A proposta da mistura será apresentada hoje (03) para a presidente Dilma Rousseff, a quem caberá a decisão final. Levando em conta o reajuste no preço da gasolina, o Sindicato dos Taxistas do Piauí anunciou uma assembleia geral da categoria para esta terça-feira (03), quando serão anunciados os novos valores das bandeiras 1 e 2. Atualmente, elas são cobradas a R$ 2,10 e R$ 2,20, respectivamente.

81% dos postos do Piauí descontam prejuízos em salários de frentistas

Como se não bastasse a frequente violência, insegurança e salários defasados vivenciados pelos frentistas do Piauí, estes são obrigados a arcar com os prejuízos de assaltos, que os postos de combustíveis sofrem. Dos 721 postos de combustíveis registrados no estado pela Federação Nacional dos Empregados de Postos de Combustíveis, 590 postos foram apontados por desrespeitar a legislação trabalhista dos frentistas, cobrando ilegalmente o ressarcimento de assaltos, ou seja, 81%.

“O Piauí conta com 721 postos de combustíveis do estado, deste total 590 postos foram identificados desrespeitando a classe dos frentistas, fazendo com que eles arquem com os prejuízos de assaltos, ou seja, os frentistas não participam dos lucros da empresa, mas devem arcar com prejuízos dela, devido à falta de segurança. Isso é um absurdo!”, aponta Sebastião Oliveira, diretor da Federação Nacional dos Empregados de Postos de Combustíveis do Piauí.

O estado do Piauí conta com, aproximadamente, 2.400 frentistas, e só em Teresina são em torno de 1.100 trabalhadores. Devido a esse cenário, o percentual de trabalhadores tem, a cada dia, reduzido. Sem outra alternativa, frentistas têm pedido demissão de seus empregos. Foram mais de 300 pedidos de demissão registrados, entre os meses de julho a dezembro do ano passado.

Para o diretor da Federação dos Empregados de Postos no Piauí, os boletins de ocorrências notificados são negligenciados, por falta de ação das autoridades responsáveis. “Em uma rede de postos de combustíveis, só entre os anos de 2014 e início de 2015, registraram 250 boletins ocorrências de casos de assaltos nos estabelecimentos.

O que foi feito com essas notificações? Nada. E isso vai continuar, principalmente, pela falta de empenho e interesse das nossas autoridades”, desabafa Sebastião Oliveira.

Segundo Rubervan do Nascimento, auditor fiscal do Ministério do Trabalho do Piauí, esse desconto salarial era feito há muito tempo, mas após uma reformulação da legislação, isso passou a ser ilegal e garante fiscalização nos estabelecimentos.

“Existia essa questão, de os empresários descontarem dos salários dos frentistas em situação de assalto. Mas com a contenção coletiva, há uns anos, isso passou a ser proibido. E mesmo a legislação dos empregados de postos de combustíveis se renovar anualmente, essa cláusula é mantida. Isso é ilegal. Iremos fiscalizar os estabelecimentos e os serviços prestados, caso seja comprovada a irregularidade, tomaremos as devidas providências”, garante auditor fiscal do Ministério do Trabalho do Piauí.

Frentistas podem decretar greve em março

A classe trabalhadora formada pelos frentistas do Piauí podem decretar greve até o dia 1 de março. Isso se não tiverem acordos trabalhistas atendidos. Os trabalhadores exigem três principais melhorias, como reajuste salarial de 14%; R$ 13 de vale refeição e seguro de vida.

“Estamos buscando acordos trabalhistas. Porque do jeito que as coisas estão, não podem continuar. Salário defasado, aumento no vale refeição que com o aumento de preços não tem pagado uma quentinha e ainda a exigência do seguro de vida, já que vamos trabalhar sem saber se retornaremos às nossas casas, sendo que sustentamos nossas famílias”, explica Sebastião Oliveira, diretor da Federação dos frentistas do estado.

O Sindicato dos Frentistas estarão no dia 25 deste mês, em reunião, com auditores fiscais do Ministério do Trabalho do estado, para a apresentação da situação atual da classe e de novas propostas de trabalho. (M.G.)

Frentistas guardam dinheiro para “dar” aos bandidos

Uma frentista, que não quis se identificar, confessa que os empresários disponibilizam R$ 100 de garantia para casos de assaltados, porém se os assaltantes levarem mais que esse valor, os frentistas são obrigados a pagar o prejuízo.

“No turno da noite, a gente é orientado a deixar R$ 100 no bolso, que é ‘o do bandido’. Por isso não trabalhamos com trocos. Agora se os assaltantes levaram mais que esse valor, somos obrigados a arcar com o prejuízo. Pagamos em parcelas à empresa, que vai sendo descontado do nosso salário. Quem vê somos culpados por isso”, revela a frentista.

A frentista revela ainda que o número de assalto tem aumentado. “A onda de assalto é grande, principalmente, no turno da noite. Os assaltantes usam mais motos para praticar o assalto e vêm sempre em dupla. Este posto mesmo só esse mês sofreu dois assaltos e um deles foi praticado por uma dupla, um homem e uma mulher”, explica a frentista.

Clique aqui e curta o Meionorte.com no Facebook

Fonte: Márcia Gabriele