Atacadões de THE: Diferença de R$0,02 define mais barato

Atacadões de THE: Diferença de R$0,02 define mais barato

A pesquisa MN desta semana apontou que a competição entre os atacadistas se decide em poucos produtos

A competição entre os atacadistas acirrou-se ainda mais em relação à semana passada. Assim como no varejo, os estabelecimentos de atacado estão atentos à pesquisa MN. A competição se decide em poucos produtos e o desempenho é definido apenas em alguns centavos.

Prova disso é que o primeiro colocado, o Carvalho Mercadão (que ficou em segundo lugar na semana passada) aparece como o mais vantajoso, e ficou apenas dois centavos à frente do Maxxi, o segundo colocado. Com uma política de preços ousada, o Maxxi conseguiu sair da última colocação na pesquisa.

O Atacadão Carrefour permaneceu na terceira colocação, seguido pelo Makro, o menos vantajoso esta semana, que havia ficado no primeiro lugar na semana passada.

A diferença de preços do mais caro para o mais barato voltou à casa dos R$ 2,00, mais especificamente em R$ 2,38 ? valor que, por ser tão pequeno, praticamente configura um empate na concepção de quem busca fazer economia em casa ou no comércio.

O cenário visto nos varejistas repete-se no atacado quando o assunto é Natal: os produtos típicos, como panetones e até mesmo enfeites, ficam colocados logo na entrada dos supermercados.

No entanto, o problema da discrepância de marcas é visto até mesmo nesses itens: nem todos trabalham com a mesma marca de panettone, por exemplo ? o que vem impedindo que esse item seja incluído na pesquisa MN. É difícil até mesmo encontrar marcas similares em todos os atacadistas.

Vale ressaltar novamente que a metodologia da pesquisa anota os produtos mais baratos nos itens sem marca definida na tabela (exemplos: água sanitária, flocão de milho, feijão carioca) e procura pela marca em produtos cuja marca aparece especificada (a exemplo do leite Itambé).

Ou seja, quem tem mais variedade de produtos acaba levando vantagem. Esse critério foi introduzido com o objetivo de contemplar os consumidores que sempre optam pelos itens mais em conta.

Em alguns casos, como o da água mineral de 500 ml, aparece uma marca específica (no caso, Regina), mas diante da sua falta, considera-se uma alternativa similar, para não penalizar tanto a soma final (que já é prejudicada pela falta de produtos elementares em vários dos atacadistas).

No caso do arroz tipo 1, é considerado em cada estabelecimento o mais barato dentre as marcas mais populares entre os consumidores.









Fonte: Dowglas Lima