Procura do consumidor por crédito cresce

Entretanto, no acumulado de janeiro a julho deste ano a demanda do consumidor por crédito recuou 5,3%

 A quantidade de pessoas que buscaram crédito junto aos bancos e instituições financeiras em julho deste ano foi 3,5% maior do que o número de pessoas que recorreu a estas instituições em julho de 2008, informou o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito.

Esta foi a primeira vez neste ano em que a procura por crédito aumenta na comparação com o mesmo mês do ano passado. Na comparação com o mês anterior, a demanda dos consumidores por crédito também cresceu 3,5%, o que representa o quinto mês consecutivo de variação mensal positiva. De acordo com a Serasa, a tendência no segundo semestre é aumento da demanda, por dois fatores principais: o declínio da procura por crédito no final de 2008, e a normalização da oferta pelo sistema financeiro a partir de março de 2009.

Entretanto, no acumulado de janeiro a julho deste ano a demanda do consumidor por crédito recuou 5,3% em relação ao mesmo período do ano passado. A Serasa destacou que, apesar do recuo, "já se nota uma trajetória de diminuição das taxas acumuladas negativas de expansão da demanda dos consumidores por crédito (-8.0% no acumulado até maio/09, -6.8% no acumulado até junho/09 e -5.3% no acumulado até julho/09)." A entidade salientou que, mantido esse ritmo de recuperação, a demanda dos consumidores por crédito deverá encerrar 2009 com variação acumulada positiva entre 0% e 5%. Análise regional Em julho houve crescimento da demanda do consumidor por crédito em todas as regiões.

A maior expansão foi observada na região Norte (alta de 11,9%), seguida pelas regiões Sul (3,9%), Sudeste (3,2%), Nordeste (2,6%) e Centro-Oeste (1,3%). No acumulado do primeiro semestre, em comparação com o mesmo período do ano passado, todas as regiões apresentaram queda na procura dos consumidores por crédito. A maior delas foi verificada na região Nordeste (-7,4%), seguida pelo Sudeste (-5,6%), Centro-Oeste (-3,9%), Sul (-3,8%) e Norte (-3,7%).

Renda pessoal mensal

As classes intermediárias de renda apresentaram as maiores taxas de crescimento de demanda por crédito no mês de julho. Na faixa com rendimento médio mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000 o aumento foi de 8,1%, entre R$ 500 e R$ 1.000 por mês a alta foi de 2,1%, e na faixa dos que ganham entre R$ 2.000 e R$ 5.000 mensais a demanda por crédito aumentou 0,9%. As faixas que se situam nas extremidades registraram recuo em suas procuras por crédito.

No acumulado de janeiro a julho, a baixa renda (com ganho mensal de até R$ 500) registrou queda de 11,1% no procura por crédito, na comparação com o mesmo intervalo de 2008. Em igual intervalo de comparação, as demais camadas de renda estão com variações acumuladas anuais próximas, que oscilam entre -4,7% e -5,0%.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br