BR: Baixa renda lidera demanda pelos cartões de crédito e risco preocupa

Os maiores entusiastas dos cartões de crédito são adultos com média de trinta anos e renda mensal média de R$ 1428,78

O aumento do número de pessoas empregadas com carteira assinada impulsionou o mercado de cartões de crédito nos últimos anos, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira (4) pela Serasa Experian.

Os maiores entusiastas dos cartões de crédito são adultos com média de trinta anos e renda mensal média de R$ 1428,78. O grupo, que representava 12% do total de consumidores brasileiros de cartões de créditos no ano passado, agora equivale a 16% deste mesmo total.

Baixa renda lidera

Segundo a Serasa, a maior demanda de novos cartões de crédito está na baixa renda (cerca de 26% do total), com idades entre 20 e 30 anos e empregos que exijam pouca qualificação ou mesmo informais.

A pesquisa considera de baixa renda os consumidores que recebem até um salário mínimo (R$ 678).

Os números revelaram ainda um crescimento de adesões e participações da classe E, cuja representatividade passou de 6,2%, em 2009, para 16,8% em 2013, num processo crescente a cada ano.

Juros altos podem favorecer aumento de dívidas

Ainda segundo o estudo, cerca de oito em cada dez pessoas buscam por crédito ou serviços em mais de uma instituição.

"Estes cidadãos estariam começando a aprender a lidar com crédito justamente numa modalidade em que os juros são altos. Assim, o risco de terem uma primeira experiência frustrante de crédito não é desprezível", afirma o presidente da Serasa Experian, Ricardo Loureiro.

O levantamento usou informações de 1 milhão de CPFs e fez comparativos entre os primeiros trimestres de 2009 a 2013.

Fonte: UOL