Bolsas sobem com ações de governos para recuperar bancos em crise em Nova York

Às 11h29 (em Brasília), a Nyse (Bolsa de Valores de Nova York, na sigla em inglês) estava em alta

As Bolsas americanas registram alta expressiva nesta segunda-feira, ap?s o que foi uma semana de perdas hist?ricas para o mercado financeiro dos EUA. Com as iniciativas dos governos de diversos pa?ses, e do governo americano em particular, para ajudar bancos e evitar que a crise arraste o mundo para uma recess?o, os investidores voltaram ao mercado hoje.

?s 11h29 (em Bras?lia), a Nyse (Bolsa de Valores de Nova York, na sigla em ingl?s) estava em alta de 5,14%, indo para 8.885,51 pontos no ?ndice Dow Jones, enquanto o S&P 500 subia 5,26%, para 946,52 pontos. A Bolsa Nasdaq operava em alta de 5,49%, indo para 1.740,05 pontos.

A retomada era esperada, segundo analistas, devido ?s iniciativas dos governos mundiais nos ?ltimos dias para injetar recursos em bancos e garantir dep?sitos. No fim de semana foram realizadas reuni?es do G7 (grupo dos sete pa?ses mais ricos), do G20 (grupo de pa?ses emergentes liderado pelo Brasil) e do IMFC (Comit? Monet?rio e Financeiro Internacional, na sigla em ingl?s) para estudar solu?es e reverter a crise iniciada h? mais de um ano nos EUA, devido a problemas no mercado de hipotecas "subprime" (de maior risco), mas que ganhou for?a a partir da quebra do banco Lehman Brothers no m?s passado.

Hoje, alguns governos europeus passaram das palavras ? a??o. O presidente da Fran?a, Nicolas Sarkozy, anunciou uma ajuda de 360 bilh?es de euros a bancos em dificuldades no pa?s: 40 bilh?es de euros ser?o usados para recapitalizar bancos e 320 bilh?es de euros ir?o garantir empr?stimos interbanc?rios.

Na Alemanha, o governo aprovou hoje um pacote de resgate aos bancos nacionais com volume total de 470 bilh?es de euros, o maior programa de ajuda desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Desse total, 400 bilh?es de euros ser?o garantias p?blicas aos cr?ditos interbanc?rios, enquanto os 70 bilh?es restantes ser?o destinados a munir os bancos de capital, mediante a aquisi??o de pacotes de a?es, por exemplo.

O governo brit?nico, por sua vez, anunciou investimento de mais de US$ 63 bilh?es no RBS (Royal Bank of Scotland), o HBOS (Halifax Bank of Scotland) e o Lloyds TSB, a fim de aumentar o capital das institui?es em uma tentativa de diminuir os efeitos da crise financeira. A medida prev? o lan?amento de novas a?es das institui?es no mercado.

J? nos EUA, o Departamento do Tesouro anunciou que vai "executar um programa de compra de a?es em um vasto n?mero de institui?es financeiras", como parte do plano de resgate dos bancos. "O ?nico objetivo das autoridades com este plano ? restaurar o fluxo de capitais para os consumidores e as empresas que formam o cora??o de nossa economia", afirmou o encarregado do Tesouro para supervisionar o plano, Neel Kashkari.

Na sexta-feira (10), o secret?rio do Tesouro, Henry Paulson, anunciou a compra, pelo governo, de a?es de institui?es financeiras com fundos do pacote de US$ 700 bilh?es aprovado pelo Congresso. "Estamos desenvolvendo estrat?gias (...) para adquirir participa?es nas institui?es financeiras conforme for necess?rio para impulsionar a estabilidade nos mercados financeiros", disse.

O diretor de assuntos financeiros do FMI (Fundo Monet?rio Internacional), Jaime Caruana, disse ontem que a compra de a?es de bancos com dinheiro p?blico ? fundamental para resolver a crise financeira. "? fundamental e ? uma das medidas que deveria ser priorit?ria", disse Caruana ? ag?ncia de not?cias Efe.

Caruana destacou que a solu??o para a crise passa por fortalecer o capital das institui?es, facilitar o financiamento das entidades, em um momento em que os mercados de cr?dito est?o praticamente congelados, e pela compra por parte de governos dos t?tulos de m? qualidade dos bancos.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br