Bovespa atinge maior nível em 14 meses

Bovespa sobe 0,56%, em seu maior nível dos 14 meses; dólar vale R$ 1,81

Os investidores sustentam a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) em seus maiores preços desde julho de 2008 na jornada desta terça-feira, animados com a perspectiva de recuperação da Ásia e dos preços das commodities (matérias-primas).

O mercado também opera sobe expectativa da decisão do Federal Reserve (o banco central dos EUA), prevista para as próximas horas. A taxa de câmbio marca R$ 1,81. O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa paulista, valoriza 0,56%, aos 61.271 pontos. O giro financeiro é de R$ 1,81 bilhão.

Nos EUA, a Bolsa de Nova York sobe 0,33%. O dólar comercial é negociado por R$ 1,811, em um decréscimo de 0,38% sobre a cotação de ontem. A taxa de risco-país marca 225 pontos, número 1,80% acima da pontuação anterior. Entre as primeiras notícias do dia, a FGV (Fundação Getulio Vargas) estima inflação de 0,41% em setembro, pela leitura do IGP-M, ainda em caráter preliminar.

Em agosto, no mesmo período, o mesmo índice apontou deflação de 0,46%. No setor corporativo, o frigorífico Marfrig anunciou a compra de 51% do grupo uruguaio Zenda, pelo valor de US$ 49,5 milhões. O setor passa por um processo de fusões e aquisições. A mesma Marfrig já revelou a compra da Doux Frangosul e da Seara Alimentos, enquanto a JBS fundiu com a Betin.

A Vale revelou que assinou um contrato, em parceria com a sul-coreana STX Pan Ocean, para o transporte de minério de ferro para a China, no valor de US$ 5,8 bilhões. O mercado aguarda para as próximas horas o anúncio do Federal Reserve (o Fed, o banco central americano), em mais uma reunião de política monetária. Analistas avaliam que o Fed deve reforçar a ideia de que vai manter a taxa de juros básica em níveis bastante baixos por um longo tempo.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br