Bovespa dispara 6% após divulgação de pacote nos EUA

Bovespa dispara 6% após divulgação de pacote nos EUA

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou forte alta nesta segunda-feira, fechando a 5,89%, aos 42.438,55 pontos.

O novo pacote dos EUA provocou otimismo generalizado nos mercados. O governo americano anunciou um plano que vai emprestar dinheiro aos investidores para que possam comprar até US$ 1 trilhão em ativos podres dos bancos em crise.

A cotação do dólar comercial caiu nesta segunda-feira 0,75% e fechou em R$ 2,246 .

Desta vez os EUA conseguirão uma retomada? Opine

EUA lançam plano para livrar bancos ativos podres

Brasil não deveria contar com EUA para sair da crise, diz jornal

COTAÇÃO AGORA

IBOVESPA

PETROBRAS PN

VALE PN

OUTRAS AÇÕES

HISTÓRICO BOVESPA

As principais Bolsas de Valores do mundo refletiram positivamente as medidas do governo dos EUA. O índice de ações de Europa subiu com força e atingiu o maior patamar em um mês. Na Ásia, o principal indicador acionário fechou no nível mais alto desde janeiro.

"Há uma expectativa de que as medidas que estão sendo anunciadas destravem a liquidez no mercado de crédito", disse Américo Reisner, operador da Fator Corretora.

Esta semana do mês é relativamente fraca em termos de indicadores. No Brasil, o Banco Central divulgou o boletim Focus com as projeções do mercado para a economia interna.

Segundo o documento, os analistas já preveem a estagnação do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro em 2009. O cenário para 2010, entretanto, permaneceu em crescimento de 3,5%.

Nos Estados Unidos, o governo anunciou o plano para a compra de até US$ 1 trilhão em ativos podres.

Inicialmente, o Tesouro vai colocar de US$ 75 bilhões a US$ 100 bilhões para lançar as parcerias, tirando dinheiro do pacote de resgate de US$ 700 bilhões aprovado pelo Congresso em outubro, segundo informou uma autoridade do governo.

Com a notícia do pacote, as Bolsas de valores da Ásia terminaram em alta nesta segunda-feira, atingindo o maior patamar em dois meses

Segundo analistas, os investidores consideraram as primeiras informações do plano como um sinal verde para se aventurarem novamente em ativos de risco, diminuindo sua atuação em operações mais seguras como os títulos do Tesouro dos EUA.

Fonte: AE