Bovespa tem pior desempenho entre as bolsas em 2013, aponta ranking

Segundo o ranking das principais bolsas de 48 países, a Bovespa aparece na lanterna

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve fechar o ano com o pior desempenho entre as bolsas do mundo, aponta levantamento do analista Jason Vieira, diretor-geral do portal de informações financeiras MoneYou.

Segundo o ranking das principais bolsas de 48 países, a Bovespa aparece na lanterna.

De janeiro até o fechamento do último pregão de segunda-feira (23), o Ibovespa acumulou queda de 16,1%. Em 2012, o principal índice da bolsa brasileira terminou o ano com ganho de 7,4%.

"O Ibovespa tem sido o pesadelo dos investidores no Brasil e no exterior", afirma Vieira.

O segundo pior desempenho em 2013 em moeda local, segundo o ranking, é o da bolsa do Chile (IGPA ), com desvalorização de 13,35%.

Na sequência, estão as bolsas da Colômbia (IGBC) e da Turquia (XU100), que perderam no ano, respectivamente, 9,32% e 9,27%.

Das 48 bolsas analisadas, 10 acumulam perdas no ano.

Na outra ponta, o destaque positivo é o índice Nikkei 225, do Japão, que avançou 59,85% no ano. Também com alta de mais de 50% estão as bolsas dos Emirados Árabes (57,29%) e do

Paquistão (50,47%).

As bolsas com maior valorização no ano são as da Venezuela (485,7%) e da Argentina (92,95%). O levantamento cita, porém, a falta de credibilidade das economias destes países. "Retiraria os números disformes de Venezuela e Argentina, nos quais há sempre uma grande dificuldade em se acreditar, principalmente considerando o estado péssimo de ambos os países, porém os inclui de forma a mostrar que, em ambos os casos, a bolsa se tornou praticamente a única fonte de investimentos", afirma o economista.

Causas

Entre os fatores que explicam o mal desempenho da Bovespa em 2013, o diretor da MoneYou cita o temor de risco regulatório por parte dos estrangeiros, os juros altos, o PIB decepcionante, o tombo das ações do grupo EBX, de Eike Batista, e a falta de rumo para as ações de estímulo econômico.

"Apesar do desempenho do mercado de trabalho, com baixo desemprego, o PIB tem decepcionado a cada divulgação. Não existem reduções de IPI o suficiente para impulsionar a economia em estado de "bolha" e além disso, a alta da inflação no meio do ano, aliada aos protestos afundou a confiança na economia. Não há Copa que salve", analisa Vieira. "A comunicação do governo através de seu grande ministro e a falta de um rumo concreto para as ações de estímulo econômico também afetaram em grande monta a noção de risco, o que afasta os investidores das bolsas de valores", acrescenta.

Confira o ranking de desempenho das bolsas em 2013:

(Variação no ano até 23/12)

1º Venezuela (IBVC) - 485,70%

2º Argentina (MERVAL) - 92,48%

3º Japão (NIKKEI 225) - 59,85%

4º Emirados Árabes Unidos (ADX General) - 57,29%

5º Paquistão (KSE100) - 50,47%

6º Nigéria (NSE 30) - 40,66%

7º Irlanda (ISEQ) - 33,10%

8º Dinamarca (OMX Copenhagen) - 25,72%

9º Egito (EGX30) - 25,18%

10º Arábia Saudita (TASI) - 24,42%

11º Alemanha (DAX) - 24,26%

12º Estados Unidos (Dow Jones) - 24,02%

13º Grécia (ASE) - 23,99%

14º Finlândia (HEX25) - 23,81%

15º Noruega (OBX 544) - 21,28%

16º Suécia (OMX 30) - 19,19%

17º Suíça (SMI) - 17,67%

18º Espanha (IBEX 35) - 17,58%

19º Bélgica (BEL20) - 16,57%

20º Área do Euro (EURO STOXX 50) - 15,95%

21º Portugal (PSI20) - 15,76%

22º Israel (TA-25) - 15,60%

23º França (CAC 40) - 15,40%

24º Austrália (S&P/ASX 200) - 14,93%

25º Holanda (AEX) - 14,80%

26º Itália (FTSE MIB) - 14,47%

27º África do Sul (FTSE/JSE) - 14,20%

28º Taiwan (TWSE) - 12,22%

29º Reino Unido (FTSE 100) - 12,17%

30º Malásia (FTSE KLCI) - 10,12%

31º Índia (SENSEX) - 9,59%

32º Canadá (S&P/TSX) - 8,71%

33º Polônia (WIG) - 8,18%

34º Áustria (WBI) - 3,30%

35º Hong Kong (HSI) - 2,83%

36º Rússia (MICEX) - 2,41%

37º Coréia do Sul (KOSPI) - 1,00%

38º Filipinas (PSEi) - 0,53%

39º Cingapura (STI) - (-1,30%)

40º Indonésia (JCI) - (-1,59%)

41º México (IPC) - (-2,36%)

42º China (SSE Composite) - (-3,21%)

43º Tailândia (SET) - (-3,61%)

44º República Checa (SE PX) - (-5,15%)

45º Colômbia (IGBC) - (-10,63%)

46º Turquia (XU100) - (-11,94%)

47º Chile (IGPA) - (-13,72%)

48º Brasil (Ibovespa) - (-15,82%)

Fonte: G1